Busca avançada
Ano de início
Entree

Validação, valores normativos e aplicabilidade clínica de um ensaio imunoenzimático para determinação sérica do hormônio anti-Mülleriano

Processo: 12/20525-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2013
Vigência (Término): 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Vinicius Nahime de Brito
Beneficiário:Renata dos Santos Batista Reis Woloszynek
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Valores de referência   Hormônio antimülleriano   Técnicas imunoenzimáticas   Endocrinologia   Doenças do sistema endócrino

Resumo

Nas mulheres, os valores do hormônio anti-Mülleriano (AMH) indicam a reserva ovariana. Nos homens, o AMH tem aplicação clínica nos distúrbios do desenvolvimento sexual e no diagnóstico diferencial entre atraso puberal e hipogonadismo hipogonadotrófico isolado. Valores normativos de AMH ainda não foram estabelecidos na população brasileira. Os objetivos desse estudo são: validar o ensaio imunoenzimático AMH Gen II (Beckman Coulter Company, TX, USA) para determinação sérica do AMH, estabelecer valores normativos de referências na população feminina e masculina brasileira, estabelecer valores de corte para reserva ovariana normal, e avaliar a aplicabilidade clínica do AMH nas seguintes patologias endócrinas: atraso puberal, hipogonadismo hipogonadotrófico isolado, distúrbios do desenvolvimento sexual, síndrome de Turner, síndrome dos ovários policísticos e falência ovariana prematura. A validação do ensaio imunoenzimático AMH Gen II (Beckman Coulter Company, TX, USA) será realizada segundo as normas do CLSI. Para estabelecer valores normativos de AMH em adultos serão selecionadas amostras de sangue de 100 homens e 100 mulheres saudáveis com idade entre 18-50 anos provenientes do HCFMUSP. A fim de avaliar a aplicabilidade clínica da dosagem de AMH em portadores de patologias endócrinas serão selecionados 30 pacientes de cada uma das patologias endócrinas anteriormente citadas. Os valores normativos de AMH serão apresentados por meio de estatística descritiva. Valores de corte serão obtidos para definir função ovariana adequada, e os valores de AMH obtidos nos grupos com patologias endócrinas serão comparados com os obtidos em indivíduos normais. A comparação entre os grupos será realizada pelo teste T de Student ou ANOVA para dados com distribuição normal, e teste U de Mann Whitney ou Kruskal Wallis para dados com distribuição não-normal. Valores de p <0,05 serão considerados significativos. Este projeto de pesquisa recebe apoio financeiro FAPESP nº 2011/212976 (Auxílio Regular á Pesquisa - vigência 01/03/2012- 28/02/2014). (AU)