Busca avançada
Ano de início
Entree

Projeto de implantação de linha de cuidado para crianças com alteração do Exame do Olhinho no estado de São Paulo

Processo: 14/25123-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2015
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Convênio/Acordo: CNPq - PPSUS
Pesquisador responsável:Antonio Carlos Lottelli Rodrigues
Beneficiário:Maria Carolina da Costa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50111-6 - Projeto de implantação de linha de cuidado para crianças com alteração do exame do olhinho no Estado de São Paulo, AP.PP.SUS
Assunto(s):Saúde ocular   Saúde da criança

Resumo

OBJETIVO PRINCIPAL: implantar a "Linha de cuidado à criança com alteração do Exame do Olhinho" , ligada a Coordenadoria da Triagem Neonatal da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. OBJETIVOS SECUNDÁRIOS: apontar dificuldades encontradas na implantação da Linha de cuidados, criar e testar dispositivo semi-automatizado para avaliação do "Exame do Olhinho"; fornecer dados objetivos a respeito do número de crianças com "Exame do Olhinho" alterado entre crianças nascidas no Estado de São Paulo; quantificar as doenças responsáveis pelas alterações do exame; fortalecer a hierarquização do SUS. METODOS: Seis hospitais universitários do Estado de São Paulo coordenarão a implantação da Linha de cuidados do "Exame do Olhinho" nas RRAS da área de abrangência de cada um deles. Três hospitais estão localizados no interior (HC UNESP- Botucatu, HC USP- Ribeirão Preto e HC- UNICAMP- Campinas) e três na capital (Hospital São Paulo- UNIFESP, HC- USP e Santa Casa) e serão referência para tratamento de crianças com exame alterado (Centro de Referência- CR). A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, através de sua Coordenadoria Estadual do Programa Nacional de Triagem Neonatal (TN) e utilizando um sistema de informações (SI) e o SomaSUS, realizará o monitoramento e controle da linha de cuidados. Cada RRAS terá pelo menos um serviço de oftalmologia estadual (destino 1) que será referência para o re-teste do exame alterado ou duvidoso dos recém-nascidos (RN) nascidos nas maternidades/Hospitais da RRAS. O re-teste será feito dentro de 15 dias do primeiro exame. Caso a alteração se confirme a criança será encaminhada e examinada no CR (destino 2) no período máximo de 15 dias para diagnóstico etiológico e tratamento. Os CRs articularão com os "apoiadores" das RRAS a implantação da linha de cuidados e serão responsáveis pelo treinamento dos recursos humanos e bolsistas de treinamento técnico (TT) que serão multiplicadores. A TN fará a busca ativa de pacientes que não cumprirem os prazos de encaminhamento. As RRAS serão responsáveis por alimentar o SI com dados referentes as maternidades/hospitais e serviços de re-teste, Os TT alimentarão o SI com dados referentes as crianças encaminhadas ao CR. (AU)