Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos ecológicos do mergulho recreativo em Áreas Marinhas Protegidas subtropicais

Processo: 17/22273-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Guilherme Henrique Pereira Filho
Beneficiário:Vinicius Jose Giglio Fernandes
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Assunto(s):Ecologia marinha

Resumo

O turismo de mergulho representa o principal uso recreativo de áreas marinhas protegidas no mundo, provendo diversos benefícios para a sociedade. Entretanto, a atividade tem gerado impactos negativos insustentáveis em muitos locais, reduzindo a diversidade e complexidade das assembleias de organismos bentônicos e peixes. Este projeto está inserido no contexto do Auxilio FAPESP (Processo 2016/14017-0) que visa compreender os padrões e processos relacionados à biodiversidade marinha em diferentes ambientes recifais. Nosso objetivo é acessar os efeitos do mergulho recreativo em destinos de mergulho do Estado de São Paulo. Será realizada uma avaliação inédita dos efeitos do mergulho autônomo nas assembleias de organismos bentônicos e peixes em recifes subtropicais utilizando a abordagem BACI (do inglês "before after control impact") no Refúgio da Vida Silvestre do Arquipélago de Alcatrazes. A avaliação espacial e temporal da assembleia de organismos bentônicos será realizada por meio de fotoquadrados aleatorizados em transectos fixos ao longo das trilhas de mergulho. Adicionalmente, colônias do coral Mussismilia hispida serão monitoradas e testadas como bioindicadoras da qualidade recifal. Para a ictiofauna, serão realizados censos visuais para avaliação dos padrões espaciais e temporais da assembleia e observações para verificar alterações comportamentais em espécies onívoras. Os impactos de uma segunda modalidade do mergulho recreativo, a pesca subaquática, também serão investigados. As capturas de peixes serão descritas para o entorno da Ilha da Queimada Grande. As percepções dos atores da atividade serão verificadas com relação aos impactos da pesca subaquática na ictiofauna e comunidade bentônica. A relevância desse projeto pode ser evidenciada pelo entendimento dos efeitos na biodiversidade causados por diferentes modalidades do mergulho recreativo. Esse conjunto de informações constituirão importantes subsídios para a elaboração de estratégias de gestão da atividade, como capacidade de suporte, zoneamento e esforços de informação ambiental. Por fim, ressaltamos que a instituição de execução da proposta (Imar/Unifesp) conta com o PPG em Biodiversidade e Ecologia Marinha e Costeira (conceito 4). O perfil técnico-cientifico do aplicante se coaduna com demandas institucionais para a formação de recursos humanos previstos nas políticas e metas nacionais.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GIGLIO, VINICIUS J.; MOURA, RODRIGO L.; GIBRAN, FERNANDO Z.; ROSSI, LAIS C.; BANZATO, BARBARA M.; CORSSO, JESSICA T.; PEREIRA-FILHO, GUILHERME H.; MOTTA, FABIO S. Do managers and stakeholders have congruent perceptions on marine protected area management effectiveness?. OCEAN & COASTAL MANAGEMENT, v. 179, SEP 1 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.