Busca avançada
Ano de início
Entree

Sistema de detecção de luz para o experimento DUNE X-ARAPUCA

Processo: 20/02544-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física das Partículas Elementares e Campos
Pesquisador responsável:Ana Amélia Bergamini Machado
Beneficiário:Ana Amélia Bergamini Machado
Instituição-sede: Instituto de Física Gleb Wataghin (IFGW). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:19/11557-2 - Sistema de detecção de luz para o experimento DUNE X-ARAPUCA, AP.JP
Assunto(s):Física de partículas   Argônio líquido   Neutrinos   Detector de cintilação   Detecção   Luz

Resumo

O Deep Underground Neutrino Experiment (DUNE) é um dos projetos mais ambiciosos no atual cenário experimental de física de partículas. O detector distante do experimento será constituído por uma câmara de projeção de tempo de argônio liquido com massa ativa de 40 kton. O sistema de detecção de luz é uma parte fundamental do detector e é usado como trigger, tempo zero, identificação de partículas e propósitos calorimétricos. No momento, a opção de linha de base para o sistema de detecção de fótons do detector DUNE far e baseada no conceito ARAPUCA. Esta e uma armadilha de luz, que permitira aumentar significativamente a eficiência de detecção de luz do detector em relação ao projeto anterior baseado em barras de cintilação/guia. O presente projeto e amplamente dedicado a melhorar o projeto ARAPUCA com um esquema de coleta de luz inteligente e novo que reduz as perdas dentro da cavidade refletiva, o mais novo design foi chamado X- ARAPUCA. Este projeto é dedicado a realização de grande parte de R & D necessário para optimizar a solução proposta, a projetação, testes, fabricação e instalação da nova geração de X-ARAPUCA no experimento SBND que será instalado no Fermi National Accelerator Laboratory a partir do próximo ano e no detector protoDUNE no CERN em 2021.