Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo experimental do escoamento água - óleo em bombas centrífugas submersas

Processo: 20/02652-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2020
Vigência (Término): 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Mecânica - Fenômenos de Transportes
Convênio/Acordo: Equinor (antiga Statoil)
Pesquisador responsável:Antonio Carlos Bannwart
Beneficiário:Daniel Antonio Amaro
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Mecânica (FEM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/15736-3 - Centro de Pesquisa em Engenharia em Reservatórios e Gerenciamento de Produção de Petróleo, AP.PCPE
Assunto(s):Bombeio centrífugo submerso   Bombas centrífugas   Escoamento bifásico   Emulsões   Petróleo

Resumo

O Bombeio Centrífugo Submerso (BCS) é um método de elevação artificial frequentemente utilizado na produção de petróleo. Segundo Flatern (2015), estima-se entre 150 e 200 mil a quantidade de bombas centrífugas em operação no mundo, tornando o BCS o segundo método de elevação mais utilizado, depois, apenas, do bombeio mecânico. Esse projeto de pesquisa tem como objetivo estudar experimentalmente o comportamento bombas centrifugas submersas quando sujeitas ao escoamento líquido líquido. Os experimentos serão realizados em uma bancada de testes de BCS no Laboratório Experimental de Petróleo "Kelsen Valente Serra" (LABPETRO), no Centro de Estudos do Petróleo (CEPETRO) da Universidade Estadual de Campinas. A bancada de testes foi construída no trabalho de mestrado de Moura Jr (2016) e modernizada por Bulgarelli (2018). Os experimentos irão explorar diversas variáveis operacionais, tal como rotação da bomba, vazão de óleo, vazão de água, pressão de entrada, temperatura do sistema, abertura da válvula globo na saída da bomba. Posteriormente será realizado o processamento dos dados experimentais obtidos afim de determinar a elevação, potência e eficiência da bomba nas diversas situações. Baseado na revisão da literatura, a interpretação matemática desses efeitos será realizada através de uma modelagem fenomenológica do escoamento de dispersões e emulsões. (AU)