Busca avançada
Ano de início
Entree

Aplicação do modelo hidrodinâmico/biogeoquímico SisBaHiA® acoplado para computação de trocas de ecossistemas líquidos no Continuum Rio-Oceano-Baixo da Amazônia

Processo: 20/08666-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2020
Vigência (Término): 31 de agosto de 2022
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Química
Pesquisador responsável:Jeffrey Edward Richey
Beneficiário:Monica Frickmann Young Buckmann
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/18491-4 - Pontos cegos biogeoquímicos ao longo do continuum do baixo Rio Amazonas: da terra para a atmosfera e oceano, AP.SPEC
Assunto(s):Modelos hidrodinâmicos   Biogeoquímica   Modelagem computacional   Transferência de gases   Atmosfera   Calibragem   Ecossistemas   Amazônia

Resumo

O foco do pós-doutorando selecionado é ser o principal responsável pela condução dos objetivos de modelagem computacional e participação na ciber-infraestrutura do projeto. Para proporcionar o contexto quantitativo de implementação do efeito de troca de gases com a atmosfera, para integrar resultados na avaliação do Net Ecosystem Exchange (NEE), tema sumário do projeto, o pós-doutorado ampliará a aplicação atual do sistema de modelagem hidrodinâmica SisBaHiA® (www.sisbahia.coppe.ufrj.br) tanto no espaço (do rio inferior até a plataforma interna) quanto nos detalhes do processo. Ele(a) aprimorará os atributos do modelo físico (por exemplo, batimetria, descarga, rugosidade e velocidades de fluxo associa- das) e estimativas preliminares das taxas de processo ao longo do rio inferior (por exemplo, respiração, produção e transferência de gás). Uma vez que os processos básicos sejam parametrizados, serão aplicados conhecimentos adquiridos a partir de experimentos e será iniciada a calibração/validação do modelo para dados in situ. O domínio do modelo será estendido até a plataforma interna, onde o pCO2 permanece alto. Quando o modelo for capaz de estimar com precisão os fluxos biogeoquímicos atuais, serão executados cenários de futuras mudanças (por exemplo, variabilidade nos padrões de descarga sazonal, aumento das temperaturas, represamentos de rios etc.). Além do escopo desta presente proposta será realizado também um estudo de acoplamento de um modelo de hidrologia de bacia (VIC, Capacidade de Infiltração Variável) ao SisBaHiA®, que permitirá uma avaliação mais aprofundada das mudanças de uso da terra na hidrologia da bacia e na dinâmica biogeoquímica in situ. O modelo será aplicável não apenas para fins imedia do projeto, mas estará disponível para avaliar questões mais amplas de recursos hídricos da Amazônia. (AU)