Busca avançada
Ano de início
Entree

Toy models na cosmologia holográfica

Processo: 20/06946-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2022
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física das Partículas Elementares e Campos
Pesquisador responsável:Horatiu Stefan Nastase
Beneficiário:Matheus da Luz Cravo
Instituição-sede: Instituto de Física Teórica (IFT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cosmologia física   Correspondência AdS/CFT   Espaço anti-de Sitter   Teoria das cordas   Teoria de campos

Resumo

A correspondência AdS/CFT relaciona holograficamente (significando que tem uma teoria numa geometria de bulk, com uma teoria na fronteira) uma teoria gravitacional, geralmente de tipo $AdS_{d+1}$, e as vezes derivada da teoria de cordas, com uma teoria quântica de campos na fronteira d-dimensional, uma teoria sendo fracamente acoplada, e a outra fortemente acoplada. No começo, pessoas usavam o lado gravitacional para calcular observáveis no lado da teoria de campos. Porém, nos últimos anos, ela começou a ser aplicada para a cosmologia, de tipo fortemente acoplada, fazendo cálculos numa teoria de campos 2+1 dimensional perturbativa. Uma abordagem fenomenológica parece ser uma alternativa fortemente acoplada para a inflação, obtendo resultados que podem ser bem comparados com a CMBR, e resolve os problemas da cosmologia Hot Big Bang tão bem como a $\Lambda$ CDM mais a inflação, mesmo que tem assuntos que devem ser resolvidos. Vamos usar alternativas bem simples para a teoria de campos 2+1 dimensional fenomenológica genérica ("toy models") para refazer algumas contas e ver se eles podem ser extendidas. (AU)