Busca avançada
Ano de início
Entree

Bioprospecção em Alchornea SP. visando substâncias antifúngicas e citotóxicas

Processo: 08/04225-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2008
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Dulce Helena Siqueira Silva
Beneficiário:Maicon Segalla Petrônio
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:04/07932-7 - Busca de compostos naturais antitumorais, antioxidantes, antiinflamatórios, antidiabéticos, inibidores de acetilcolinesterase e mieloperoxidase no Cerrado e na Mata Atlântica, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Bioprospecção   Antioxidantes   Produtos naturais

Resumo

O estudo fitoquímico preliminar da espécie Alchornea glandulosa com enfoque multidisciplinar, envolvendo o isolamento de substâncias por métodos cromatográficos e sua identificação por espectrometria, resultou em substâncias fenólicas, alcalóides e terpenóides. A avaliação biológica preliminar do extrato bruto de folhas e frações semipurificadas indicou atividade inibitória sobre proliferação celular de 4 linhagens de células tumorais, atividade antifúngica contra patógenos humanos e atividade sobre reações mediadas por óxido nítrico. Estes resultados preliminares sugerem a necessidade de estudos mais aprofundados com essa espécie vegetal, visando a obtenção de outras substâncias bioativas ou que sirvam de protótipos para a preparação de derivados sintéticos bioativos visando a exploracao da possibilidade de incremento das bioatividades observadas. As etapas de trabalho inlcuem: - Extração, isolamento e identificação dos metabólitos secundários das folhas, frutos e galhos de Alchornea glandulosa (Euphorbiaceae). - preparo de derivados semi-sintéticos utilizando reações de acetilacao, metilacao, esterificacao etc visando potencializacao das bioatividades;- Ensaios biológicos com os extratos, frações semi-purificadas e substâncias isoladas; pesquisa bibliográfica nas principais bases de dados; Coleta e classificação do material vegetalA planta em estudo foi coletada na Fazenda Campininha, município de Mogi-guaçu - SP, sendo identificada pela botânica Inês Cordeiro no Instituto de Botânica da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, local onde se encontra depositada sua exsicata; Preparação dos extratos: O material vegetal, separado em folhas, frutos e galhos, seco e moído, será sucessivamente submetido à extração com etanol, por percolação a frio até a exaustão. A evaporação do solvente, à pressão reduzida, fornecerá os extratos brutos etanólicos de cada parte vegetal; -Fracionamento e PurificaçãoOs extratos brutos concentrados serão fracionados através de métodos cromatográficos ou partição com solventes. A purificação das substâncias será realizada através de processos cromatográficos, recristalização e outros. Os processos cromatográficos a serem utilizados são aqueles usualmente empregados num trabalho fitoquímico como adsorção em coluna, cromatografia em camada delgada comparativa, cromatografia em camada delgada preparativa, cromatografia líquida de alta resolução, permeação em gel (Sephadex LH-20), etc. As fases estacionária e móvel variarão segundo as necessidades e disponibilidades. Cromatografia em camada delgada comparativa e análises espectrométricas serão utilizadas para monitorar todo o processo de fracionamento e purificação; -Identificação das substâncias: após purificacao, as substâncias terão suas estruturas elucidadas através de métodos físicos e espectrométricos (ponto de fusão, [a]D, RMN de 1H e 13C, UV, IV e EM); Reacoes de derivatizacao:- preparo de derivados semi-sintéticos utilizando reações de acetilacao, metilacao, esterificacao etc, visando potencializacao das bioatividades;-Ensaios Biológicos: Triagem da atividade antioxidante por: a) teste em CCDC nebulizada com b-caroteno; teste espectrofotométrico para Redução do radical 2,2-difenil-1-picrilhidrazila (DPPH); Avaliação da Atividade antimalárica por ensaio espectrofotométrico para polimerização de heme.