Busca avançada
Ano de início
Entree


Análise cladí­stica dos gêneros de Segestriidae (Araneae, Synspermiata, Dysderoidea)

Texto completo
Autor(es):
André Marsola Giroti
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências
Data de defesa:
Membros da banca:
Antonio Domingos Brescovit; Pedro Gnaspini Netto; Silvio Shigueo Nihei; Adalberto José dos Santos
Orientador: Antonio Domingos Brescovit
Resumo

A pele dos anfíbios possui uma grande diversidade de glândulas responsáveis por diversas funções. Glândulas cutâneas sexualmente dimórficas (GCSDs) são geralmente encontradas em machos e podem formar macroglândulas conhecidas como regiões \"inchadas\". Dendrobatoidea é o único clado de anfíbios em que machos adultos possuem um inchaço no dedo IV, supostamente associado ao amplexo cefálico que também é exclusivo da superfamília. No entanto, poucos estudos referentes a este caráter foram realizados e sua histologia nunca foi examinada. Buscamos caracterizar as morfologias do inchaço, avaliar a distribuição anatômica de suas glândulas e realizar sua análise taxonômica. Observamos as morfologias externa e interna das mãos de machos e fêmeas adultos e juvenis de 27 espécies da superfamília e fizemos a histologia das mãos de todos os indivíduos para comparar os dedos e os tipos glandulares presentes neles. Realizamos análises histoquímicas para diferenciar e descrever os tipos glandulares encontrados e para determinar se encontramos GCSDs na região do inchaço, analisamos também a pele do dorso de alguns dendrobatóideos. Encontramos glândulas granulosas e mucosas comuns no dorso e nos dedos de todos os indivíduos. Exclusivamente nos machos adultos com o inchaço, encontramos glândulas mucosas especializadas de tipos I, II e III no dedo IV. Glândulas de tipo I estão presentes em todos os machos que apresentam o inchaço do dedo IV, de tipo II estão restritas aos Dendrobatidae e de tipo III ocorrem apenas em Anomaloglossus stepheni. Observamos ainda que machos de espécies anteriormente codificadas sem o inchaço possuem o inchaço no dedo IV e corroboramos a existência do caráter pela presença dos tipos glandulares descritos. Segundo nossa amostragem, a presença do inchaço e de glândulas de tipo I no inchaço é uma sinapomorfia de Dendrobatoidea, com ausência secundária nas espécies que não possuem o caráter. A presença de glândulas de tipo II é uma sinapomorfia de Dendrobatidae, com perdas independentes em duas espécies e a presença de glândulas de tipo III é uma autapomorfia de An. Stepheni. Trazemos, portanto, informações que poderão guiar estudos em diversos campos como: comportamento reprodutivo, bioquímica das secreções glandulares e taxonomia dos dendrobatóideos (AU)

Processo FAPESP: 13/20008-6 - Análise cladística dos gêneros de Segestriidae (Araneae; Dysderoidea)
Beneficiário:André Marsola Giroti
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado