Busca avançada
Ano de início
Entree


Efeitos clínicos e comportamentais da injeção de medetomidina em equinos pré-medicados com hioscina

Texto completo
Autor(es):
João Henrique Perotta
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Jaboticabal. 86 f.
Instituição: Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias.
Data de defesa:
Membros da banca:
Anderson Farias; Francisco José Teixeira Neto
Orientador: Carlos Augusto Araújo Valadão
Resumo

Entre os animais domésticos, os equinos são os que apresentam maior taxa de mortalidade sob intervenção anestésica, sendo a principal causa a depressão cardiovascular. Os agonistas 2 produzem efeitos sedativos e analgésicos, porém, causam hipertensão transitória seguida de hipotensão, bradicardia com redução do débito cardíaco, às vezes, associada ao bloqueio atrioventricular de segundo grau. A medetomidina é um agonista 2 de alta especificidade produzindo sedação e analgesia mais profundas e duradouras em relação aos outros agentes desta classe. A hioscina minimiza os efeitos cardíacos dos agonistas 2, com discreto efeito sobre a motilidade gastrintestinal dos equinos. Avaliaram-se os efeitos clínicos e comportamentais induzidos pela injeção de medetomidina em oito equinos pretratados com hioscina por via IV ou IM ou solução de NaCl 0,9% alocados em três grupos: GSFM (grupo solução de NaCl 0,9% seguida de medetomidina, dose 7,5 g/kg); GHivM (grupo hioscina IV, dose de 0,14 mg/kg, seguida de medetomidina); e GHimM (hioscina IM, dose de 0,3 mg/kg, seguida de medetomidina). O segundo fármaco foi aplicado cinco minutos após o primeiro. A hioscina, tanto por via IV quanto por via IM elevou significativamente a FC, as pressões arteriais e o débito cardíaco. Houve diminuição da PA no GHivM. Houve diminuição significativa na f e na altura da cabeça nos três grupos. Não houve diferenças significativas na PaO2 e PaCO2. A hioscina diminuiu o tempo de sedação, sendo este efeito dependente de dose. A hioscina, tanto por via intravenosa quanto por via intramuscular preveniu os efeitos cardiovasculares da medetomidina, sendo que por via intramuscular, este efeito foi mais tardio, porém de maior duração. (AU)

Processo FAPESP: 06/05274-8 - Avaliação dos efeitos cardiovasculares da medetomidina em equinos pré-tratados com hioscina
Beneficiário:João Henrique Perotta
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado