Busca avançada
Ano de início
Entree

A imprensa francófona das Américas nos séculos XIX e XX

Processo: 18/09355-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Organização de Reunião Científica
Vigência: 07 de novembro de 2018 - 09 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História Moderna e Contemporânea
Pesquisador responsável:Valéria dos Santos Guimarães
Beneficiário:Valéria dos Santos Guimarães
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (FCHS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Franca. Franca , SP, Brasil
Assunto(s):História cultural  História da América  História da leitura  História do Brasil  História intelectual 

Resumo

A cultura e a língua francesa tiveram importante papel no mundo, em particular na imprensa do século XIX, fenômeno que se estende até meados do século XX e que se desenvolveu graças à expansão dos meios técnicos de produção e comunicação, permitindo a circulação de modelos de imprensa e dos assuntos por ela abordados, assim como a constituição de imaginários globalizados.As Américas não constituíram exceção e também foram tocadas pelos efeitos da cultura midiática francófona, seja no formato dos periódicos (como a adoção de folhetins no rodapé dos jornais), seja na popularidade de certos gêneros (como a crônica, o romance-folhetim, os faits divers etc.).Este Congresso é, assim, consagrado a reunir pesquisadores dedicados ao estudo da imprensa periódica francófona nas Américas dos séculos XIX e XX, como jornais, revistas e almanaques, em todas as suas manifestações: Estudo dos periódicos franceses publicados nas Américas (em particular nas zonas francófonas "minoritárias" como Estados Unidos, México, Brasil, Argentina, Chile, Uruguai, Peru, mas também no centro e oeste do Canadá etc.); Estudo dos periódicos franceses publicados na França e que circularam nas Américas (concentrando-se no que diz respeito às trocas culturais e políticas com a imprensa local); Estudo do engajamento de franceses ou empresas francesas nos periódicos locais (colaboradores envolvidos em sua administração, redação e/ou financiamento).A organização está particularmente interessadas nas abordagens sobre a dinâmica das conexões transnacionais e circulações, tais como o deslocamento de homens de letras (jornalistas, correspondentes, redatores, editores), a fundação de jornais provenientes de enclaves imigrantes, os debates intelectuais (culturais, econômicos e políticos), a apropriação de técnicas e modelos entre outros aspectos. (AU)