Busca avançada
Ano de início
Entree

Comunicação intercelular na morfogênese: caracterização funcional do Modulo de Reconhecimento Celular Irre (IRM) em Drosophila melanogaster

Processo: 18/18437-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2019 - 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Ricardo Guelerman Pinheiro Ramos
Beneficiário:Ricardo Guelerman Pinheiro Ramos
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Morfogênese  Adesão celular  Drosophila 

Resumo

O Módulo de Reconhecimento Celular Irre (IRM: Irre Cell-recognition Module) de Drosophila é constituido pelos produtos dos genes rst (roughest), kin-of-irre (kirre), sticks-and-stones (sns) e hibris (hbs), que formam um pequeno subgrupo evolutivamente conservado de glicoproteínas transmembranares da superfamília das imunoglobulinas e atuam, normalmente de forma cooperativa, em uma grande variedade de processos durante a morfogênese animal, principalmente aqueles requerendo uma estreita integração entre comunicação intercelular e remodelamento do citoesqueleto. Em humanos, mutações afetando componentes do IRM resultam principalmente em defeitos cognitivos ou malformações renais. A despeito dos importantes avanços realizados, especialmente nos últimos anos, na descrição e caracterização espacial e temporal do IRM em diferentes tecidos, os mecanismos celulares e moleculares pelos quais as funções deste módulo são implementadas assim como as vias de sinalização a ele associadas permanecem ainda pouco compreendidos. O presente projeto tem como objetivo primário iniciar a investigação sistemática das bases mecanísticas do funcionamento do IRM durante o desenvolvimento da retina pupal, do sistema nervoso e do ovário de D. melanogaster e envolve duas etapas: a) identificação por análise genética de vias de sinalização moduladoras do funcionamento do IRM nos três tecidos acima mencionados e b) identificação e caraterização genética e bioquímica de possíveis interações intracelulares diretas entre proteínas do IRM e componentes do citoesqueleto. (AU)