Busca avançada
Ano de início
Entree

Probiótico vegetal para a recomposição biológica de plantas de soja cultivadas em ambientes de produção degradados

Processo: 17/15556-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de abril de 2019 - 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:André May
Beneficiário:André May
Empresa:Revbio - Serviços em Sanidade e Nutrição Vegetal Ltda
CNAE: Cultivo de soja
Fabricação de produtos químicos orgânicos não especificados anteriormente
Município: Paulínia
Pesq. associados:Marcelo Augusto Boechat Morandi
Assunto(s):Micro-organismos endofíticos  Extratos vegetais  Inoculação  Probióticos  Soja 

Resumo

Atualmente, no Brasil, em áreas produtoras manejadas de forma intensiva por meio de cultivo sequencial, tem sido observado o crescimento de ocorrência de áreas com indicativos de degradação biológica. Esses indicativos podem ser diagnosticados pela perda paulatina da rentabilidade, verificados pela elevação constante, comparando diferentes anos agrícolas, da necessidade da aplicação de pesticidas para a manutenção produtiva dessas lavouras, em razão da ocorrência, cada vez mais severa, de pragas e doenças, levando à utilização de técnicas de manejo emergenciais, com elevado potencial de impacto ambiental. Assim, a pesquisa tem indicado que pode estar havendo um colapso de sistemas produtivos associados ao cultivo sequencial de soja por longos períodos, em função da exaustão dos processos de recomposição biológica desses ambientes de cultivo. Sabe-se que a microbiota existente no interior da planta, microrganismos endofíticos, contribuem para as relações da planta com ambientes adversos, auxiliando no desenvolvimento do vegetal. É possível que, em áreas intensivamente cultivadas, a microbiota dessas plantas exploradas comercialmente não consiga mais desenvolver suas funções ou tenham sido modificadas severamente, devido a alteração extrema no ambiente de cultivo. Dessa forma, a inovação proposta nesse projeto pretende desenvolver uma tecnologia de recomposição biológica de plantas cultivadas em talhões degradados, visando a revitalização produtiva e econômica, através do uso de extrato vegetal, advindo de plantas sadias de soja, cultivadas, anteriormente, em condições controladas, aplicando-o em sementes e plantas recém germinadas para a formação de lavouras comerciais da mesma espécie, nesses ambientes com prenúncios de desequilíbrio biótico e com alta fragilidade biológica, admitindo a hipótese de que as plantas inoculadas com o conteúdo microbiológico contido no extrato vegetal de plantas sadias melhoram sua tolerância aos estresses bióticos e abióticos comuns em ambientes de produção de soja. As variáveis estudadas nos experimentos de soja em campo, antes da instalação da lavoura serão: fertilidade do solo cultivado; análise de granulometria para estimativa dos teores de argila, silte e areia; teores de carbono no solo; densidade do solo e incidência de nematóides do solo. As variáveis estudadas ao longo do desenvolvimento da cultura da soja serão: levantamento de pragas e doenças da cultura, atividade enzimática do solo rizosférico e da planta, avaliação da diversidade microbiana no solo por análises metagenômicas, avaliação do desenvolvimento das plantas e da produtividade da cultura. A partir de análises metagenômicas realizadas em plantas de soja conduzidas em ambientes degradados biologicamente e ambientes equilibrados, com ou sem a aplicação do extrato vegetal em suas sementes ou plantas germinadas de 2 dias, será possível testar se a microbiota de uma planta saudável de mesma espécie (soja) é diferente de uma planta crescida em ambiente degradado e se há um processo de inoculação eficiente da planta em desenvolvimento em condições adversas, capaz de promover melhorias fisiológicas, estado fitossanitário geral e produtivas. As plantas sadias utilizadas para a produção de extrato vegetal com conteúdo microbiano positivo serão cultivadas em ambiente controlado ou jardim clonal, visando máximo desenvolvimento e controle fitossanitário, sendo desenvolvidas em locais com solo rico em matéria orgânica e sem o uso de pesticidas de forma intensiva, para que não se promova alterações profundas nos microrganismos endofíticos dessas plantas cultivadas para a produção de extrato vegetal. A comprovação técnica do uso de um extrato vegetal advindo de plantas sadias cultivadas em jardim clonal para tratamento de plantas de mesma espécie cultivada em sequência em ambientes com desequilíbrio biótico resultará em um vantajoso insumo agrícola, sustentável, com baixo impacto ambiental e ausente no mercado. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.