Busca avançada
Ano de início
Entree

Inclusão profissional de trabalhadores com deficiência intelectual na Cidade de São Paulo

Processo: 19/03130-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no Brasil
Vigência: 01 de julho de 2019 - 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Social
Pesquisador responsável:José Leon Crochíck
Beneficiário:José Leon Crochíck
Instituição-sede: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/19807-0 - Inclusão profissional e interação social de pessoas com deficiência intelectual, AP.R
Assunto(s):Inclusão social 

Resumo

Trata-se de publicação de livro que expõe resultados de pesquisa financiada pela FAPESP, a respeito da inclusão social de trabalhadores com Síndrome de Down. Solicita-se parte do orçamento necessário para publicação desse livro. Essa pesquisa foi uma reaplicação da pesquisa desenvolvida em Portugal pelo Professor Carlos Veloso da Veiga, publicada no livro Inclusão Profissional e Qualidade de vida; por esse motivo, seus objetivos são similares ao daquela pesquisa, e são os que se seguem: 1- verificar se jovens trabalhadores com deficiência intelectual foram adequadamente preparados pelas instituições escolares para o trabalho, considerando se foram formados por instituições especiais ou pela escola regular e o nível socioeconômico de suas famílias; 2- se estão bem incluídos em seus empregos, considerando sua produtividade e relações com colegas, chefes e clientes; e 3- se, após o emprego, puderam ampliar seu círculo de amizades, sua autonomia e consequente bem-estar. Foram entrevistados 20 jovens trabalhadores com Síndrome de Down, com idade entre 20 e 35 anos; esses sujeitos indicaram um colega do trabalho, um amigo, que em conjunto com seus chefes no trabalho, familiares e orientador educacional da escola em que se formou, também fizeram parte da amostra. Durante um período, cada um de 17 dos participantes foi observado (um havia perdido o emprego, e para outros dois não conseguimos permissão para a observação). Os sujeitos acima listados foram entrevistados por meio de roteiros com questões abertas. Em geral, estão bem incluídos em seus trabalhos, o que lhes permitiu mais autonomia e bem-estar, além de maior inclusão social. Notou-se dificuldades de estabelecerem amizades nos empregos e a ausência de carreiras para esses trabalhadores. Se a formação anterior, para boa parte deles, foi importante para o desempenho no trabalho, eles têm dificuldades com operações matemáticas e linguagem escrita. (AU)