Busca avançada
Ano de início
Entree

Predição da morbidade respiratória neonatal em fetos de mães diabéticas através da análise ultrassonográfica quantitativa da textura do pulmão fetal

Processo: 19/01298-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2019 - 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Rosiane Mattar
Beneficiário:Rosiane Mattar
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Ana Carolina Rabachini Caetano ; Luciano Marcondes Machado Nardozza
Assunto(s):Obstetrícia  Ultrassonografia 

Resumo

Introdução:O descontrole glicêmico durante a gestação está associado a aumento da morbimortalidade materna, neonatal, além de consequências na infância e vida adulta. As pacientes com diabetes na gestação têm maior risco de parto prematuro. Além da prematuridade, o diabetes é fator de risco independente para morbidade respiratória neonatal. Esses riscos são maiores nas pacientes com diabetes pré-gestacional e diabetes gestacional que necessitam do uso de medicação. A morbidade respiratória neonatal decorrente da síndrome do desconforto respiratório ou da taquipnéia transitória do recém-nascido são as complicações mais comuns da prematuridade tardia (entre 34 e 36 6/7semanas) e do termo precoce (<39 semanas). Nesse contexto poderia ser de grande valia um método não invasivo para predizer o risco de morbidade respiratória neonatal nesses fetos auxiliando o obstetra na decisão sobre o uso de corticoesteróides para acelerar maturidade pulmonar e no planejamento do momento mais adequado para o parto. Um "software" denominado "quantitative ultrasound fetal lung maturity analysis' (quantusFLM") foi desenvolvido combinando vários extratores de texturas da imagem ultrassonográficas e algoritmos computadorizados para predizer às cegas o risco de morbidade respiratória neonatal. Estudo multicêntrico publicado em 2017, concluiu que o "software" tem uma acurácia semelhante aos testes com líquido amniótico para predizer morbidade respiratória com a vantagem de ser não invasivo e que estudos em populações específicas como as gestantes diabéticas deveriam ser realizados.Esse estudo tem como objetivo avaliar o desempenho da análise ultrassonográfica quantitativa da textura do pulmão fetal para predizer morbidade respiratória neonatal em partos pré-termo tardio ou termo precoce nos fetos de mães diabéticas pré-gestacional ou gestacional que necessitam de medicação.Métodos: Estudo observacional prospectivo de coorte. Serão incluídas gestantes diabéticas (pré-gestacional ou em suo de medicação) e gestantes sem comorbidades (grupo controle) entre 34 e 38 6/7 semanas. A ultrassonografia para análise quantitativa da textura do pulmão deve ser realizada no máximo até 48 horas antes do parto. As imagens ultrassonográficas serão obtidas através de um protocolo detalhado (em corte axial do tórax fetal no nível de 4 câmaras). Os resultados obtidos após a análise são divididos em duas categorias: a saber, baixo ou alto risco de morbidade neonatal respiratória. O principal desfecho clínico do estudo é a presença de morbidade respiratória neonatal incluindo a síndrome do desconforto respiratório e taquipnéia transitória do recém-nascido.Palavras chave: análise da textura pulmonar, diabetes na gestação, maturidade pulmonar fetal, morbidade respiratória neonatal, predição da maturidade pulmonar, ultrassonografia. (AU)