Busca avançada
Ano de início
Entree

Confiabilidade, validade de construto e responsividade dos testes funcionais recomendados pela Sociedade Internacional de Pesquisa em Osteoartrite (OARSI) para indivíduos com osteoartrite de joelho

Resumo

Introdução: A osteoartrite de joelho comumente resulta em limitações funcionais, que podem ser avaliadas por meio de medidas subjetivas e objetivas. As medidas subjetivas mensuram o que o indivíduo percebe que consegue realizar, enquanto as medidas objetivas mensuram o que o indivíduo é capaz de realizar. A sociedade internacional de pesquisa em osteoartrite (Osteoarthritis Research Society International - OARSI) recomendou a utilização de um core set mínimo composto por três testes funcionais (sentar e levantar de 30 segundos, caminhada rápida de 40 metros e subida e descida de escada). Esses testes têm como objetivo mensurar, de forma objetiva, a função física em indivíduos com osteoartrite de joelho. Apesar dessa recomendação, a confiabilidade, validade de construto e responsividade desses testes foi testada somente em indivíduos com grau avançado da doença, ou seja, pacientes que aguardam a prótese total do joelho. Dessa forma, é necessário que essas propriedades de medida sejam testadas na população com OAJ que geralmente é submetida ao tratamento conservador. Além disso, a mínima mudança clinicamente importante (MMCI) ainda é desconhecida para esses testes. Objetivos: 1) investigar confiabilidade, validade de construto e responsividade dos testes funcionais recomendados pela OARSI em pacientes com OAJ; 2) investigar a mudança mínima detectável, erro padrão da medida e a mínima mudança clinicamente importante dos testes funcionais recomendados pela OARSI em pacientes com OAJ. Métodos: Serão incluídos 115 indivíduos com idade superior a 45 anos e com diagnóstico de OAJ. Os participantes serão submetidos aos testes funcionais, avaliação de intensidade de dor, questionários de função física (WOMAC e KOOS) e nível de atividade física. Essas avaliações serão realizadas em três momentos, sendo que as duas primeiras terão um intervalo de 7 dias entre elas, enquanto a terceira medida será realizada 6 meses após a primeira. A análise estatística será composta pela confiabilidade intra-avaliador (ICC2,1), enquanto a validade de construto e responsividade serão investigadas pelo teste de correlação de Pearson ou Spearman. Os testes funcionais serão considerados válidos se ao menos 75% das hipóteses forem confirmadas. Por fim, serão calculados ainda o erro padrão da medida, mudança mínima detectável e MMCI. (AU)