Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de formulação com propriedade cicatrizante e de remodelagem tecidual

Processo: 20/09777-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de abril de 2021 - 31 de dezembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Tainah Colombo Gomes
Beneficiário:Tainah Colombo Gomes
Empresa:Biotechno Science Farmacêutica
CNAE: Fabricação de cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal
Fabricação de medicamentos para uso humano
Fabricação de preparações farmacêuticas
Município: São Paulo
Pesq. associados:Ana Olívia de Souza ; Durvanei Augusto Maria ; Paulo Roberto Regazi Minarini ; Rafael Conrado
Bolsa(s) vinculada(s):21/05338-6 - Desenvolvimento de formulação com propriedade cicatrizante e de remodelagem tecidual, BP.PIPE
Assunto(s):Ferimentos e lesões  Cicatrização  Cosméticos  Anti-infecciosos  Regeneração tecidual  Metabólitos secundários 

Resumo

Metabólitos secundários produzidos por micro-organismos são conhecidos pelas diversas possibilidades de aplicações biotecnológicas, e muitos dos casos de sucesso são usados na área farmacêutica. Moléculas da classe de anularinas são comumente encontradas em fungos, e a anularina I apresenta moderada ação antimicrobiana em patógenos normalmente presentes em infecções. Em estudos prévios, in vitro, em cultura de células endoteliais da veia do cordão umbilical humano (HUVECs) e de fibroblastos humanos normais FN1, a anularina I promoveu a proliferação celular, e análises da expressão de proteínas envolvidas na proliferação, senescência, e análises das fases do ciclo celular indicaram a perspectiva de aplicação terapêutica desse composto em processo de regeneração, remodelagem e reparo tecidual na cicatrização de feridas. No estudo in vivo, em modelo murino de feridas, formulações em creme carreando a anularina I a 0,0005; 0,003 e 0,03%, foram efetivas na cicatrização das feridas com excelente ação na regeneração e remodelagem do tecido, com significante produção de colágeno e ausência de queloides. A análise de segurança por dosagem hematológica e bioquímica dos parâmetros da função hepática e renal, indicou ausência de toxicidade em animais tratados com a formulação em creme por até 14 dias. A formulação usada no estudo foi em forma de creme base não-iônico preparado de acordo com a 6ª edição da Farmacopeia Brasileira, e as concentrações usadas na formulação foram baseadas nos resultados dos estudos in vitro. Nesse contexto, esta proposta tem como objetivos avançar no desenvolvimento de uma formulação com a anularina I a 0,003%, seguindo os protocolos definidos pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD), e as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) para registro de produto dermatológico de uso tópico grau 2, inicialmente para uso cosmético, e posterior uso no reparo e remodelagem tecidual na cicatrização de feridas. Os testes propostos referem-se a análise de toxicidade e sensibilidade dérmica, absorção cutânea, opacidade e permeabilidade da córnea bovina, fototoxicidade in vitro, sensibilidade da derme, mutagênese cromossômica e estudo de estabilidade. Pretende-se que a formulação atenda aos requisitos necessários para o registro junto a ANVISA. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)