Busca avançada
Ano de início
Entree

Imunização experimental em bovinos importados utilizando-se polipeptídeos de roptrias de merozoítos de Babesia bigemina

Processo: 97/09673-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 1998 - 30 de abril de 2001
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Rosangela Zacarias Machado
Beneficiário:Rosangela Zacarias Machado
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):00/09713-0 - Imunização de bovinos utilizando-se antígeno bruto e vacina de DNA preparada a partir de corpúsculos de Anaplasma marginale e imunização experimental em bovinos importados utilizando-se polipeptídeos de roptrias de merozoitos de Babesia bigemina, BP.TT
99/10485-2 - Imunização experimental em bovinos utilizando-se polipeptídeos de roptrias de merozoítas de Babesia bigemina, BP.TT
Assunto(s):Bovinos leiteiros  Babesiose  Babesia bigemina  Doenças parasitárias em animais  Roptrias  Polipeptídeos  Imunização 

Resumo

Babesia bigemina, um membro do phylum Apicomplexa, permanece como obstáculo na produção animal, principalmente em gado leiteiro, quando se analisa globalmente junto a tantas outras doenças infecto-parasitárias. O objetivo maior e de longa duração deste trabalho é desenvolver métodos de vacinação contra a babesiose bovina. Em um projeto de pesquisa anterior iniciamos o teste de uma hipótese de que polipeptídios do complexo apical de merozoitas de B. bigemina seriam antigenicamente conservados. O isolamento e caracterização de organelas do complexo apical (roptrias) de merozoitas de B. bigemina foi alcançado (MACHADO et al., 1993). A identificação de polipeptídios de fração de roptrias pela utilização de anticorpos monoclonais foi realizada e os seguintes polipeptídios foram reconhecidos: 225, 116, 86, 58, 45, 36 e 26 kDa. (MACHADO, 1996 Processo FAPESP nº 93/4599-9). A conservação de epítopes entre as diferentes amostras de B. bigemina, geograficamente isoladas também foi demonstrado com os anticorpos monoclonais obtidos. Finalmente, objetivamos utilizar a fração de roptrias na imunização de bovinos importados ou de áreas livres de carrapatos, avaliando a resposta imune humoral e celular desenvolvida pelos animais vacinados, bem como a capacidade protetora deste imunógeno após o desafio com a cepa virulenta de B. bigemina. (AU)