Busca avançada
Ano de início
Entree

Programa de apoio à propriedade intelectual: determinação de ozônio no ambiente: método químico de baixo custo

Processo: 05/57208-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa de Apoio à Propriedade Intelectual (PAPI/Nuplitec)
Vigência: 01 de fevereiro de 2006 - 31 de agosto de 2010
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Arnaldo Alves Cardoso
Beneficiário:Arnaldo Alves Cardoso
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:00/14810-4 - Desenvolvimento de métodos in situ e próximo do tempo real para gases traços atmosféricos, AP.R
Assunto(s):Ozônio  Propriedade intelectual  Índigo carmim  Fluorescência  Patentes 

Resumo

Foi desenvolvido novo método para determinação de ozônio no ambiente, utilizando filtro de celulose impregnado com corante índigo. O método baseia se em uma reação específica do ozônio com o índigo, um corante que apresenta na sua estrutura uma ligação dupla entre carbonos. A reação é bastante utilizada para determinação de ozônio em água, porém pouco explorada para atmosfera. A inovação que apresentamos na amostragem foi utilizar filtro impregnado com o corante e otimizar condições para que ela ocorra de forma quantitativa. Já na etapa de quantificação foram propostos dois modos para medida do ozônio: a absorbância feita em comprimento de onda não explorado e a fluorescência do produto, técnica não relatada para a reação. Na determinação feita com absorbância a vantagem é o uso de equipamento comum a todo laboratório de química. Com fluorescência a vantagem é o baixo limite de detecção e não ser necessário quantificar a concentração inicial do corante. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Sensor químico indica concentração de ozônio no ambiente