Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de materiais biocompatíveis: biocerâmicas e biovidros

Resumo

Um dos grandes avanços da medicina nas últimas décadas foi a possibilidade de reparar e/ou substituir partes do corpo humano por materiais pré-fabricados. Atualmente não se pode imaginar a medicina moderna sem utilizar materiais como metais, polímeros, carbono vítreo, biovidros em implantes. A pesquisa desses novos materiais tem aumentado nos últimos anos devido à sua grande importância no campo da ciência, na tentativa de torná-los cada vez mais biocompatíveis. Podemos dividir os biomateriais basicamente em dois grupos: primeiramente, temos os materiais biocompatíveis que constituirão o corpo da prótese, ou seja, darão a forma e a resistência mecânica desejadas. O segundo grupo, denominado de materiais bioativos, tem como finalidade interagir com o ambiente ao redor da prótese, caso, por exemplo, dos filmes de hidroxiapatita, permitindo desse modo a formação de tecido humano sobre a prótese, evitando a rejeição por parte do organismo. Nesse contexto, nosso trabalho destina-se ao estudo e desenvolvimento de biocerâmicas e biovidros e, em uma segunda etapa, à produção de filmes bioativos para recobrimento de próteses utilizadas em implantes. Portanto, as etapas a serem desenvolvidas serão: 1) síntese de biocerâmicas e biovidros por meio do processo de fusão, testando diferentes composições; 2) caracterização desses materiais por diferentes técnicas; 3) estudo de filmes finos bioativos, testando algumas rotas de produção existentes para escolher a mais adequada; e 4) testes de biocompatibilidade mediante medidas de bioatividade. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio: