Busca avançada
Ano de início
Entree

Aspectos fisiopatológicos da infecção experimental por Trypanosoma vivax ziemann, 1905, em ovinos

Resumo

O objetivo da pesquisa será estudar os aspectos fisiopatológicos da infecção experimental por Trypanosoma vivax em ovinos, avaliando os sinais clínicos, parasitemia, a resposta imunehumoral, alterações hematológicas, anatomopatolágicas e bioquímicas, incluindo o estudo do metabolismo da glicose e dos lipídios, além de realizar o estudo biométrico do agente etiológico para caracterização da cepa. Para tanto, serão utilizados oito ovinos com um ano de idade, machos e fêmeas, e sem raça definida, sendo quatro animais controles e quatro infectados com 10⁷ tripomastigotas de T. vivax, cepa provenientes de um surto na região de Patos, Paraíba. Os animais serão submetidos a um período de quarentena para avaliações clínicas e parasitológicas, incluindo a Reação de Imunofluorescência Indireta (RIFI), para detecção de anticorpos anti- T. vivax, exames hematológicos e bioquímicos. Animais clinicamente sadios serão mantidos por 180 dias. Aos 14 e sete dias antes da infecção, seguindo-se no 5°, 7°, 9°, 11°, 13°, 15°, 20°, 30°, 45°, 60°, 75°, 90°, 120°, 150° e 180° dias após a infecção (DAI), serão coletados 15 mL de sangue de cada animal dos grupos controle e infectado, destinados aos exames hematológicos, sorológicos e bioquímicos. Os animais serão pesados um dia antes da infecção e com intervalos de 30 dias entre cada pesagem até que se completem os 180 dias, quando serão sacrificados. Os animais infectados serão examinados diariamente quanto aos aspectos clínicos e parasitemia, por meio de esfregaços sanguíneos para realização da biometria do parasito. Para análise estatística será utilizado o delineamento inteiramente casualisado, em esquemas de parcelas subdivididas, considerando-se como parcelas o grupo infectado ou controle e como subparcelas, o tempo de infecção. Para as variáveis relacionadas ao hemograma, dosagens bioquímicas e peso dos animais serão realizadas comparações das médias utilizando-se o teste de Tukey ao nível de 5% de probabilidade e para avaliação do efeito da parasitemia sobre temperatura, apetite e valores hematológicos e bioquímicos será utilizado o Coeficiente de Correlação de Pearson. (AU)