Busca avançada
Ano de início
Entree

Pesquisa de marcadores sorológicos e moleculares da infecção pelo vírus da hepatite e (HEV) em diferentes grupos populacionais em São Paulo

Processo: 12/50504-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2012 - 31 de outubro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:João Renato Rebello Pinho
Beneficiário:João Renato Rebello Pinho
Instituição-sede: Instituto de Medicina Tropical de São Paulo (IMT). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Doenças transmissíveis  Vírus da hepatite E  Hepatite crônica  Imunossupressão  Genótipo  Marcador molecular  Prevenção de doenças  Estudos transversais 

Resumo

O vírus da hepatite E (HEV) é um vírus RNA, agente etiológico da hepatite E, uma forma de hepatite viral aguda de curso normalmente autolimitado. Atualmente, a infecção pelo HEV é reconhecida como um considerável problema de saúde pública em diversas regiões do mundo. Nas regiões endêmicas os genótipo 1 e 2 do HEV estão envolvidos nos grandes surtos e também em casos esporádicos. Em países desenvolvidos, a infecção pelo HEV ocorre quase que exclusivamente em pessoas com histórico de viagens para regiões endêmicas, porém durante a última década um número crescente de infecções autóctones tem sido identificado nessas regiões. Nessas infecções os genótipos 3 e 4 têm sido identificados, os quais são comumente encontrado em algumas espécies animais, caracterizando a hepatite E como uma doença com potencial zoonótico. A prevalência do HEV nas diferentes regiões do mundo ainda não é completamente compreendida, assim como os padrões de transmissão e evolução da doença. Esta, habitualmente é reconhecida como benigna e de evolução autolimitada, entretanto, são crescentes as evidências de sua evolução para a cronicidade em indivíduos imunossuprimidos. Além disso, tem sido demonstrado que nesses indivíduos a infecção crônica pelo HEV pode evoluir para fibrose hepática progressiva culminando no desenvolvimento de cirrose. Tais evidências têm feito ressurgir o interesse pelo estudo dos diferentes aspectos da infecção pelo HEV, assim como do próprio agente com o objetivo de melhorar as estratégias de diagnóstico, tratamento e prevenção dessa infecção. No Brasil há poucos estudos que avaliaram a prevalência do HEV e não temos conhecimento acerca do envolvimento desse vírus como agente causai de doença hepática crônica em nosso meio, portanto neste projeto temos por objetivo avaliar a frequência de infecção passada, aguda e crônica pelo HEV entre diferentes populações na cidade de São Paulo. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FERREIRA, A. C.; GOMES-GOUVEA, MICHELE SOARES; LISBOA-NETO, G.; MENDES-CORREA, M. C. J.; PICONE, C. M.; SALLES, N. A.; MENDRONE-JUNIOR, A.; CARRILHO, F. J.; PINHO, J. R. R. Serological and molecular markers of hepatitis E virus infection in HIV-infected patients in Brazil. ARCHIVES OF VIROLOGY, v. 163, n. 1, p. 43-49, JAN 2018. Citações Web of Science: 7.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.