Busca avançada
Ano de início
Entree

Dosagem de interferon gama na avaliação da imunidade celular específica para o citomegalovírus em receptores de transplantes

Processo: 15/06947-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2015 - 31 de maio de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Clarisse Martins Machado
Beneficiário:Clarisse Martins Machado
Instituição-sede: Instituto de Medicina Tropical de São Paulo (IMT). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Silvia Vidal Campos
Auxílios(s) vinculado(s):17/09488-7 - Zika and Chikungunya virus infections in hematopoietic stem cell transplant recipients and oncohematological patients, PUB.ART
Bolsa(s) vinculada(s):16/00773-8 - Comparação da técnica de antigenemia com PCR quantitativo na detecção de CMV em receptores de TCTH, BP.TT
Assunto(s):Transplante de pulmão  Transplante de células-tronco hematopoéticas  Antigenemia  Doenças transmissíveis  Interferon gama  Citomegalovirus  Vírus Zika 

Resumo

A infecção pelo CMV é uma importante complicação dos receptores de transplantes, especialmente no contexto do transplante pulmonar e de células tronco-hematopoiéticas (TCTH). O uso de profilaxia no transplante pulmonar e a terapia pre-emptive com ganciclovir (GCV), ou seja, a introdução precoce de GCV baseada na positivação de técnicas rápidas de diagnóstico (detecção de antigenemia pp65 ou PCR), levaram a diminuição significante da morbidade e mortalidade relacionada a esse agente. Mais recentemente, o aumento da complexidade dos transplantes, traduzido pelo uso de novos imunossupressores na profilaxia e controle da rejeição ou da doença do enxerto contra o hospedeiro (DECH), e o uso de doadores alternativos (TCTH com doadores não-aparentados) podem desencadear mudanças no comportamento de certos agentes infecciosos, entre os quais, o CMV. É sabido que a linfopenia prolongada é um dos principais fatores de risco para a reativação do CMV. Esta por sua vez, ao mesmo tempo em que define o risco de adoecimento e a necessidade de introdução precoce de antiviral, constitui um forte estímulo para a reconstituição da imunidade específica do CMV. A reconstituição da resposta de células T CD4 e CD8 CMV-específicas (imunidade ao CMV) é capaz de controlar a infecção mesmo na ausência de antiviral, enquanto que o retardo nesta resposta leva a episódios recorrentes de reativação e/ou viremias prolongadas, nos quais o uso de antiviral é indispensável. Estas viremias prolongadas são muitas vezes interpretadas erroneamente como resistência ao GCV, especialmente nos pacientes em uso profilático de ganciclovir. Até recentemente, apenas ensaios sofisticados in-house de dosagem de interferon gama eram disponíveis para avaliação da imunidade específica ao CMV. Atualmente, está disponível comercialmente um ensaio imunoenzimático que dosa a quantidade de IFN-g produzida por linfócitos T CMV-específicos, em resposta a peptídeos imunodominantes de CMV presentes no ensaio (QuantiFERON-CMV, Qiagen, USA). Assim, este ensaio pode representar um avanço no manejo das infecções pelo CMV nestas populações. No presente estudo, será avaliada a dinâmica da reconstituição imunológica de células T CMV-específicas em população de receptores de TCTH alogênico e de pulmão, as variáveis relacionadas à detecção de imunidade ao CMV, bem como a utilidade do ensaio na identificação de grupos de risco para episódios recorrentes de reativação do CMV. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MACHADO, CLARISSE MARTINS; DE SOUZA PEREIRA, BARBARA BRITO; FELIX, ALVINA CLARA; OLIVEIRA, MARIA CAROLINA; DARRIGO, JR., LUIZ GUILHERME; DE SOUZA, MAIR PEDRO; DE ALENCAR PATON, EDUARDO JOSE; NEVES, FABIA; COLTURATO, VERGILIO RENSI; SIMOES, BELINDA PINTO. Zika and chikungunya virus infections in hematopoietic stem cell transplant recipients and oncohematological patients. BLOOD ADVANCES, v. 1, n. 10, p. 624-627, APR 11 2017. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.