Busca avançada
Ano de início
Entree

Projeto, desenvolvimento e montagem do protótipo de um micro inversor fotovoltaico que cumpra os requisitos da norma brasileira NBR 16149:2013, NBR 16150:2013 e NBR IEC 62116:2012

Processo: 15/22736-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de julho de 2016 - 31 de maio de 2017
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Elétrica - Sistemas Elétricos de Potência
Pesquisador responsável:Felipe de Oliveira de Araujo
Beneficiário:Felipe de Oliveira de Araujo
Empresa:Nexlab Soluções Tecnológicas Ltda. - ME
Município: São Paulo
Assunto(s):Geração distribuída  Conversores elétricos  Protótipo  Normas técnicas  Brasil 

Resumo

Uma das principais promessas de tecnologia que vêm prometendo tornar acessível a qualquer um o uso de sistemas fotovoltaicos conectados a rede tem sido o uso dos chamados micro inversores. Além de terem uma maior vida útil (esperada de 25 anos) quando comparado a outros inversores centrais/string (esperada de 7 anos) a metodologia de projeto de SFCRs apresenta características como 1) fácil instalação; 2) maior vida útil; 3) produção de 25% mais energia quando comparada a outras metodologias de projetos de SFCRs [6]; 4) mais seguro. Apesar de todos esses benefícios não existe comercialmente um micro inversor certificado e que atenda as normas brasileiras por dificuldades impostas aos algoritmos de controle e desenvolvimento do firmware. Este plano de trabalho apresenta as etapas fundamentais para o desenvolvimento de um micro inversor aplicado a sistemas fotovoltaicos conectados a rede que cumpra os requisitos das normas brasileiras NBR 16149:2013, NBR 16150:2013 e NBR IEC 62116:2012 utilizando a API aberta da Solantro e o seu chipset. A proposta dividiu-se em sete fases, onde são explanadas as possibilidades de se trabalhar com diversas topologias de conversor utilizando o chipset da Solantro para o controle, análise de situações e implementação de controles que facilitem a atuação do micro inversor, tanto autônoma, quanto conectado a rede, além da fase de testes do dispositivo já montado, em especial focar no desenvolvimento de algoritmos de controle para o chipset da Solantro usando sua API Aberta. O sistema escolhido se propõe a trabalhar com tensão de entrada contínua de 30V à 60V, para se obter uma tensão eficaz de saída de 110V ou 240V com frequência de 50Hz ou 60Hz, acordada com a frequência da rede. (AU)