Busca avançada
Ano de início
Entree

Prospecção e avaliação do uso biotecnológico de genes envolvidos na modificação estrutural da celulose cristalina em cana-de-açúcar

Processo: 16/25785-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2017 - 31 de maio de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Tatiane da Franca Silva
Beneficiário:Tatiane da Franca Silva
Instituição-sede: Escola de Engenharia de Lorena (EEL). Universidade de São Paulo (USP). Lorena , SP, Brasil
Pesq. associados:Andre Luis Ferraz ; Elisson Antonio da Costa Romanel
Assunto(s):Cana-de-açúcar  Genética molecular vegetal  Hidrólise enzimática 

Resumo

Um dos principais embargos a produção de etanol de segunda geração a partir do bagaço da cana-de-açúcar (Saccharum spp.) é o custo elevado com enzimas na etapa de sacarificação. As características recalcitrantes da biomassa consomem uma elevada carga enzimática necessária para a hidrólise dos polissacarídeos da parede celular. Durante a etapa de sacarificação as celulases possuem um limitado acesso as microfibrilas de celulose cristalina, presentes em um arranjo altamente empacotado. Estudos prévios mostram que as proteínas vegetais Expansinas são capazes de atuar em sinergismo com as celulases, promovendo a desorganização das microfibrilas tornando-a mais acessível aos complexos enzimáticos. Embora as características da parede celular sejam um dos principais fatores que afetam a produção de etanol, pouco se sabe sobre os genes que influenciam a estrutura das microfibrilas de celulose em cana-de-açúcar. Neste contexto, o presente projeto propõem identificar e caracterizar os genes que compõem a família multigênica de Expansina em cana-de-açúcar; verificar a correlação do perfil de expressão destes genes com a organização estrutural dos tecidos do colmo e analisar o efeito da adição destas proteínas em coquetéis enzimáticos genéricos, buscando maior especificidade para a biomassa desta espécie. Através desta abordagem pretende-se contribui com o desenvolvimento de coquetéis enzimáticos customizados, favorecendo significativamente a viabilidade do processo de hidrólise do bagaço. (AU)