Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da resposta inflamatória no pós-operatório de pacientes com anel aórtico pequeno após implante de prótese valvar perceval e seu impacto na sobrevida a curto e médio prazo

Processo: 16/18760-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2017 - 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Amanda Guerra de Moraes Rego Souza
Beneficiário:Amanda Guerra de Moraes Rego Souza
Instituição-sede: Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia (IDPC). Fundação Adib Jatene (FAJ). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Luiz Carlos Bento de Souza ; Magaly Arrais dos Santos
Assunto(s):Cardiologia  Estenose da valva aórtica  Implante de prótese de valva cardíaca  Bioprótese  Síndrome de resposta inflamatória sistêmica  Interleucinas  Vesículas extracelulares  Proteína C-reativa 

Resumo

A Síndrome de Resposta Inflamatória Sistêmica (Systemic Inflammatory Response Syndrome, SIRS) está relacionada com aumento de micropartículas endoteliais circulantes, como marcadores de comprometimento endotelial em pacientes com estenose aórtica e/ou no pós-operatório de pacientes submetidos à troca valvar aórtica. O implante da prótese valvar Perceval S diminui o tempo de clampeamento aórtico e cirúrgico total, apresenta melhor desempenho hemodinâmico, com gradiente transvalvar aórtico residual menor, pelo que contribuirá com a diminuição da resposta inflamatória, apresentando níveis inferiores de micropartículas circulantes no pós-operatório quando comparado ao uso de prótese valvar biológica convencional. O objetivo deste estudo será avaliar o impacto da resposta inflamatória na sobrevida a curto e médio prazo e sua relação com os níveis de micropartículas endoteliais no pós-operatório entre pacientes com anel aórtico pequeno submetidos ao implante de prótese biológica convencional e prótese Sutureless Perceval (Sorin Group). Será realizado um estudo prospectivo randomizado de 24 pacientes que serão submetidos a Troca valvar aórtica isolada divididos em dois grupos: prótese valvar Perceval (Grupo P) e prótese valvar biológica convencional (Grupo C). Serão avaliados o perfil de liberação de micropartículas endoteliais, e concentração plasmática de marcadores inflamatórios; Interleucinas 6 e 8, Proteina C Reativa, Procalcitonina, no pré, 24 horas e 3 meses pós-operatório, e a sua relação com a resposta inflamatória, será realizado ecocardiograma transtorácico no período de seguimento de 30 dias, 6 e 12 meses pós-operatório. (AU)