Busca avançada
Ano de início
Entree

EMU concedido no processo 2016/18740-9: equipamento de PCR em tempo real QuantStudio 6 flex (Applied Biosystems)

Processo: 17/11376-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa Equipamentos Multiusuários
Vigência: 01 de setembro de 2017 - 31 de agosto de 2024
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Marcelo Urbano Ferreira
Beneficiário:Marcelo Urbano Ferreira
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/18740-9 - Bases científicas para a eliminação da malária residual na Amazônia Brasileira, AP.TEM
Assunto(s):Plasmodium vivax  Malária  Amazônia  Controle de vetores  Reação em cadeia por polimerase (PCR)  Equipamentos multiusuários 
As informações de acesso ao Equipamento Multiusuário são de responsabilidade do Pesquisador responsável
Página web do EMU: Página do Equipamento Multiusuário não informada
Tipo de equipamento:Caracterização e Análises de Amostras - Proteínas/Ácidos nuclêicos - PCR
Fabricante: Fabricante não informado
Modelo: Modelo não informado

Resumo

Com 143.910 casos confirmados laboratorialmente e 41 óbitos associados à malária em 2014, o Brasil apresenta hoje a menor carga de malária em 35 anos, com transmissão virtualmente restrita à Amazônia Legal. Neste contexto, o Ministério da Saúde do Brasil lançou, em novembro de 2015, o Plano para a Eliminação da Malária no Brasil, com o objetivo de curto prazo de interromper a transmissão de Plasmodium falciparum nos próximos 15 anos. A natureza focal da malária no país indica que a sua eliminação depende da priorização de um pequeno número de focos de transmissão. Combinamos neste projeto abordagens epidemiológicas clássicas, que visam a caracterizar fatores de risco e identificar possíveis alvos para intervenção, com estudos de genética e genômica populacional de parasitas e de biologia e controle de vetores, com o objetivo de contribuir para a elaboração de estratégias mais eficazes para o controle e a eliminação da malária no Brasil. Esse estudo é complementado com modelagem matemática de diferentes cenários de eliminação da malária no país. As atividades de campo concentram-se no Vale do Juruá, que concentra 20% dos casos de malária registrados no Brasil. Abordamos dois desafios principais: (a) a persistência de infecções assintomáticas, que frequentemente apresentam carga parasitária abaixo do limiar de detecção dos exames diagnósticos disponíveis, formando um reservatório de infecção invisível ao sistema de saúde, e (b) a manutenção de altas densidades de vetores, especialmente em função do surgimento de novos criadouros artificiais resultantes da ação humana sobre o ambiente. (AU)