Busca avançada
Ano de início
Entree

EMU concedido processo 2016/07765-0: QUANTSTUDIO 6 Flex Real-Time PCR System

Processo: 18/11756-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa Equipamentos Multiusuários
Vigência: 01 de agosto de 2018 - 31 de julho de 2025
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Pesquisador responsável:Nelson da Cruz Gouveia
Beneficiário:Nelson da Cruz Gouveia
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/07765-0 - Mortalidade fetal: desafios do conhecimento e da intervenção, AP.TEM
Assunto(s):Saúde pública  Reação em cadeia por polimerase (PCR)  Mortalidade fetal  Fatores de risco  Autópsia minimamente invasiva  Equipamentos multiusuários 
As informações de acesso ao Equipamento Multiusuário são de responsabilidade do Pesquisador responsável
Página web do EMU:www.premium.fm.usp.br
Tipo de equipamento:Caracterização e Análises de Amostras - Proteínas/Ácidos nuclêicos - PCR
Fabricante: ThermoFisher Scientific
Modelo: Quantstudio flex-6

Resumo

Embora a mortalidade fetal represente um crescente e importante componente da mortalidade na infância, ainda é insuficientemente conhecida, valorizada e estudada enquanto problema de saúde pública, e principalmente por meio de abordagens que integrem as dimensões biológicas, epidemiológicas e sociais. Assim, este estudo pretende contribuir para a diminuição da mortalidade fetal por meio da compreensão da complexa gama de aspectos relacionados ao óbito fetal sob perspectiva multidisciplinar, de modo a fornecer subsídios para o desenvolvimento de políticas públicas e protocolos de atenção pré-natal e ao parto, voltados para sua prevenção, acolhimento da gestante nos serviços de saúde e apoio aos familiares no luto pós-perda fetal. Pretende-se desenvolver estudo de caso-controle prospectivo, com 415 casos (óbitos fetais) e 415 controles nascidos vivos (aleatórios) em 15 hospitais do SUS, que concentram elevada proporção dos óbitos fetais do Município de São Paulo. Serão realizadas entrevistas hospitalares com mães de casos e controles, aplicados protocolos para coleta de dados nos prontuários, copiados os cartões de pré-natal das gestantes. Serão coletados sangue materno e do cordão umbilical e a placenta, para análise dos marcadores de angiogênese séricos e teciduais, de exposição à poluição do ar e de infecção. Será também realizada autópsia minimamente invasiva (exames de imagem e histopatológico guiado por biópsia) e autópsia tradicional. Serão realizadas entrevistas com gestores dos hospitais e do Programa Rede Cegonha/Mãe Paulistana municipal e estadual e entrevistas com a mãe após 2 meses de perda fetal em amostra de 100 casos. Análises irão identificar fatores de risco para óbitos fetais, investigar as suas inter-relações e estimar as contribuições individuais para a mortalidade fetal neste cenário, bem como necessidades de apoio para as famílias enlutadas; resultados serão divulgados nas comunidades científicas e políticas. (AU)