Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de metodologias de geoprocessamento para análise das vulnerabilidades às mudanças climáticas no litoral de São Paulo

Processo: 10/08622-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de junho de 2010
Vigência (Término): 30 de abril de 2011
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Demografia - Distribuição Espacial
Convênio/Acordo: CNPq - Pronex
Pesquisador responsável:Lúcia da Costa Ferreira
Beneficiário:Allan Yu Iwama de Mello
Instituição-sede: Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais (NEPAM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/58159-7 - Crescimento populacional, vulnerabilidade e adaptação: dimensões sociais e ecológicas das mudanças climáticas no litoral de São Paulo, AP.PFPMCG.TEM
Assunto(s):Geoprocessamento   Sensoriamento remoto   Mudança climática   Litoral

Resumo

O projeto do bolsista de Treinamento Técnico envolve a construção e o desenvolvimento de metodologias e bases de dados de Sensoriamento Remoto e SIG, que darão suporte às atividades realizadas pelos demais pesquisadores do Projeto "Crescimento populacional, vulnerabilidade e adaptação: dimensões sociais e ecológicas das mudanças climáticas no litoral de São Paulo". Nesse sentido, o projeto do bolsista de Treinamento Técnico tem como principais objetivos: I. Construir e organizar um Banco de Dados Geográficos, que represente os territórios e a faixa costeira dos 16 municípios que serão estudados no projeto. Através deste banco de dados, serão sobrepostos e integrados diferentes tipos de dados espaciais e alfanuméricos, tais como cartografias digitais, imagens de satélite, dados censitários e outros tipos de dados de diferentes fontes, como DATASUS, estatísticas vitais, cadastros públicos estaduais e municipais, além de dados ambientais e biofísicos. II. Desenvolver uma metodologia para um sistema de monitoramento do uso e ocupação do solo e dos processos de urbanização e peri-urbanização dos 16 municípios da região de estudo do projeto, com um enfoque maior para as áreas de risco e vulnerabilidade socioambiental às mudanças climáticas, utilizando-se imagens de satélite de alta e média resolução espacial. Para atingir estes dois principais objetivos propostos, o bolsista de Treinamento Técnico irá desenvolver as seguintes atividades: 1. Delimitação da área de estudo (15 municípios do litoral do estado de São Paulo mais o município de Cubatão). 2. Levantamento/aquisição de imagens de satélite de média resolução espacial (20 a 30 metros) da área de estudo, para as datas de 1985, 1991, 1995, 2000 e 2007, buscando as datas (mês/ano) mais próximas possível daquelas relativas aos Censos e Contagens Populacionais do IBGE. Serão também selecionadas imagens recentes, 2008/2009, para verificação da evolução da mancha e seu estado atual. 3. Aquisição de imagens de média-alta resolução espacial SPOT e CBERS 2B (2,5 metros), para identificar as áreas de expansão urbana, com ênfase naquelas localizadas em áreas de risco e vulnerabilidade às mudanças climáticas. As imagens CBERS 2B também serão cedidas gratuitamente pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). 4. Aquisição de imagens de alta resolução espacial QUICKBIRD e/ou IKONOS (0,6 a 1 metro) e resolução radiométrica superior as imagens de média resolução (11bits=2048 níveis de cinza) para algumas áreas de forte expansão urbana e peri-urbana recente e alta vulnerabilidade socioambiental às mudanças climáticas, as quais serão objeto de análises detalhadas em escala intra-urbana e local. As imagens devem adquiridas para pelo menos duas datas: 2000, ano para o qual há dados socioeconômicos do Censo Demográfico, e 2008/2009, ano mais recente possível; 5. Aquisição de fotos aéreas referentes ao período de 1970 a 1985, para algumas áreas de maior interesse, como Caraguatatuba e Santos. 6. Seleção e obtenção das cartas topográficas (IBGE), na escala 1:50.000, para georreferenciamento das imagens e mapeamento da mancha urbana relativa ao período anterior a 1985, devido a não existência de imagens orbitais antes de 1985 com resolução compatível com os objetivos do estudo; 7. Montagem do Banco de Dados Geográficos, 8. Inserção, processamentos e classificação das imagens de média, média-alta e alta resolução espacial no banco de dados: 9. Elaboração de relatórios técnicos contendo roteiros e descrições detalhados de todos os procedimentos e etapas desenvolvidos e dos resultados obtidos nas atividades acima descritas. 10. Descrição e discussão dos resultados das análises de sensoriamento remoto e SIG com os pesquisadores do projeto nas reuniões técnicas e de pesquisa. (AU)