Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização físico-química do lixiviado produzido na célula experimental e correlação com parâmetros de compressibilidade oriundos de monitoramento geotécnico

Processo: 11/08465-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de junho de 2011
Vigência (Término): 30 de setembro de 2011
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Saneamento Ambiental
Pesquisador responsável:Miriam Gonçalves Miguel
Beneficiário:Jorge Luiz da Paixão Filho
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/18560-4 - Estudo da compressibilidade de aterros sanitários: aplicação ao caso do aterro delta a de Campinas/SP, AP.R
Assunto(s):Digestão anaeróbia   Aterros sanitários   Demanda química de oxigênio

Resumo

A inadequada disposição final dos resíduos sólidos gerados pela atividade humana vem, há muitos anos, se tornando um sério problema ambiental e até de saúde pública, causando poluição e degradação do meio ambiente. Um modo de disposição adequada dos resíduos sólidos urbanos é a disposição em aterros sanitários, no entanto a degradação dos resíduos gera produtos como o metano e lixiviado, também conhecido como chorume, que devem ser tratado. O lixiviado é considerado um líquido escuro e turvo, de odor desagradável, que apresentam em sua composição altos teores de compostos orgânicos e inorgânicos, liberados no processo de decomposição do lixo. Para determinar as características e o volume do lixiviado, é necessário avaliar as particularidades de cada aterro. A qualidade do lixiviado é resultado da interação entre tipo e intensidade de decomposição, o balanço hídrico e umidade do resíduo, sendo que as características mudam com o passar do tempo. Para analisar essa variação das características do lixiviado é necessário a realização de ensaios como DQO (Demanda Química de Oxigênio), AVT (Ácido Voláteis Totais), pH, alcalinidade com periodicidade estabelecida para análise das fases de decomposição do aterro.