Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do perfil metabólico em crianças com hipertrofia adenotonsilar e distúrbios respiratórios do sono

Processo: 11/22629-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2012
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Silke Anna Theresa Weber
Beneficiário:Priscilla Melchior Oliveira Rocha
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Crianças   Otorrinolaringologia   Perfil metabólico

Resumo

Distúrbios respiratórios durante o sono são conhecidos entre os adultos e crianças de longa data. Podem ir desde roncos sem conseqüências graves a episódios de apnéia obstrutiva com suas inúmeras repercussões clínicas. A obesidade é um fator de risco conhecido para SAOS no adulto e, a prevalência de SAOS em crianças obesas chega a 36%, atingindo 60% quando há presença de ronco habitual. Embora sejam conhecidas conseqüências metabólicas entre os adultos, na população pediátrica essas conseqüências ainda não são tão definidas. Objetivo: Avaliar a incidência de queixas clínicas de alterações respiratórias durante o sono em crianças obesas e não-obesas; estabelecer as alterações metabólicas em crianças com hipertrofia adenotonsilar e distúrbios respiratórios do sono, comparando obesas e não obesas. Material e Métodos: Serão incluídas crianças entre 03 e 12 anos de idade com o diagnóstico de hipertrofia adenotonsilar e distúrbios respiratórios do sono em acompanhamento ambulatorial. Será aplicado um questionário validado (OSA 18), investigando roncos, pausas respiratórias observadas e sono agitado. Será realizado exame otorrinolaringológico, incluindo nasofibroscopia, para o diagnóstico da hipertrofia das tonsilas, assim como estudo do sono através da poligrafia com critérios específicos para idade normatizados pela Academia Americana de Medicina do Sono (AASM). A avaliação metabólica será feita pela dosagem em jejum de: glicemia, insulina, colesterol total e frações, TSH e T4 livre. Os resultados serão descritos em suas médias e desvio padrão para crianças obesas com e sem SAOS e crianças não-obesas com e sem SAOS, e correlacionados com a gravidade de SAOS e obesidade.