Busca avançada
Ano de início
Entree

As transferências culturais na imprensa na passagem do Século XIX ao XX - Brasil e França

Processo: 12/01969-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência (Início): 01 de março de 2012
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Valéria dos Santos Guimarães
Beneficiário:Valéria dos Santos Guimarães
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL-ASSIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Assis. Assis , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/19123-7 - As transferências culturais na imprensa na passagem do Século XIX ao XX - Brasil e França, AP.JP
Assunto(s):História contemporânea   História da leitura   História da cultura

Resumo

A leitura de jornais se tornou um hábito cada vez mais disseminado pelo Ocidente nos séculos XIX e XX.Ligada diretamente à modernidade, ao incremento tecnológico propiciado pelas revoluções industriais, ao ambiente urbano, à consolidação da nação e à formação de uma opinião pública, a expansão do mercado editorial do impresso periódico esteve no âmago da formação da sociedade de massas. No Brasil, mesmo com o atraso na produção impressa em conseqüência do exclusivo colonial, este processo também teve lugar. Neste contexto, o objetivo deste projeto é mapear e entender a circulação de alguns periódicos franceses na virada do século XX no Brasil (eixo editorial Rio-São Paulo) e compreender suas implicações para o desenvolvimento do jornalismo brasileiro. Iremos utilizar o conceito de "transferências culturais", criado por Michel Espagne e Michael Werner a partir da revisão dos conceitos da literatura comparada, o qual parte dopressuposto de que tal abordagem permite uma visão global das relações culturais. Nossa hipótese é que este contato com a imprensa estrangeira seria um dos aspectos da modernização do jornalismo brasileiro, seja através do contato direto ou das trocas triangulares, isto é, através de Portugal. Gostaríamos de saber quemsão os mediadores culturais como livreiros, editores, tipógrafos, jornalistas, viajantes e outros. Quais as instituições envolvidas. Se há outros jornais além dos citados acima que sejam importantes neste diálogo, quais suas características e quais os efeitos destas trocas. Para além das trocas de conhecimento tecnológico,nós supomos que existe a criação de um imaginário comum assim como de uma memória coletiva, ambasresultado de intensas trocas de representações no jornal. Além disso, devemos nos perguntar quais são suas imbricações e os resultados desta "zona de contato" resultantes do encontro de diferentes culturas. Este projeto está integrado a um projeto mais amplo intitulado: "A circulação transatlântica dos impressos - a globalização da cultura no século XIX", que envolve pesquisadores do Brasil, França, Portugal e Inglaterra,sendo coordenado no Brasil por Márcia Abreu e na França por Jean-Yves Mollier.