Busca avançada
Ano de início
Entree

Ontogênese e expressão do ortólogo de AP1 na gema axilar de Passiflora edulis Sims. e P. suberosa L. (Passifloraceae)

Processo: 12/13837-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de agosto de 2012
Vigência (Término): 30 de abril de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Morfologia Vegetal
Pesquisador responsável:Gladys Flávia de Albuquerque Melo de Pinna
Beneficiário:Renata Cristina Cassimiro de Lemos
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/11817-2 - Ontogênese e expressão do ortólogo de AP1 na gema axilar de Passiflora edulis Sims. e P. suberosa L. (Passifloraceae), AP.R
Assunto(s):Passifloraceae   Ontogenia   Anatomia

Resumo

A origem das gavinhas na família Passifloraceae tem gerado diferentes interpretações ao longo da história. Devido a sua posição na inflorescência, muitas vezes é entendida como uma modificação da flor terminal, ou mesmo do próprio eixo de primeira ordem da inflorescência. No gênero Passiflora, a inflorescência geralmente é de tal maneira reduzida que, a partir da gema axilar, é produzida apenas uma ou duas flores, lateralmente a uma gavinha central. Do ponto de vista morfo-anatômico, a transição do meristema vegetativo para meristema floral é bem conhecido e possui algumas características marcantes. Nas últimas décadas também se têm compreendido muito sobre os mecanismos moleculares envolvidos nessa transição e no controle do desenvolvimento das estruturas reprodutivas. Com base nesses conhecimentos, e tendo em vista os poucos estudos sobre o desenvolvimento da gema axilar em Passiflora, tanto do ponto de vista morfo-anatômico quanto molecular, o presente projeto tem como objetivo acompanhar a ontogenia desta estrutura bem como a expressão do gene ortólogo ao AP1 de Arabidopsis em duas espécies de Passiflora. Para tanto serão realizadas análises de seções seriadas em MO, bem como as técnicas de MEV, RT-PCR e hibridização in situ das regiões nodais desde o ápice caulinar até porções onde os produtos da gema sejam morfologicamente distintos. Como principais resultados são esperados dados inéditos sobre o desenvolvimento da estrutura presente na região da axila foliar de Passiflora, assim como sobre o mecanismo de controle molecular envolvido na diferenciação das flores e gavinhas.