Busca avançada
Ano de início
Entree

Fractalquina e sua correlação com obesidade antes e após bypass gástrico

Processo: 13/20918-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2013
Vigência (Término): 30 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Licio Augusto Velloso
Beneficiário:Igor Valente Coimbra
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07607-8 - CMPO - Centro Multidisciplinar de Pesquisa em Obesidade e Doenças Associadas, AP.CEPID
Assunto(s):Imunologia   Inflamação   Obesidade

Resumo

A obesidade é uma das doenças mais importantes e prevalentes da atualidade, acometendo milhares de indivíduos no mundo todo. Sabe-se que a fisiopatologia dessa enfermidade é multifatorial, sendo considerada, portanto, fruto da associação entre aspectos genéticos, estilo de vida e exposição a antígenos pela alimentação. O consumo de dietas ricas em gorduras saturadas induz a um processo inflamatório no tecido adiposo branco e, conseqüentemente, a um desequilíbrio no controle da fome e termogênese. Tal desequilíbrio pode contribuir para o aparecimentos de doenças associadas à obesidade, como a aterosclerose e o diabetes mellitus tipo 2 e a possível associação molecular entre a obesidade e essas comorbidades, em especial o DM2, é a fractalquina. A fractalquina é uma citocina inflamatória, que atua como adesina e também como um fator capaz de estimular a migração celular. Estudos recentes demonstraram haver uma correlação positiva entre adiposidade e concentrações séricas de fractalquina, contudo sua concentração foi avaliada somente em indivíduos magros e obesos (pré-cirurgia bariátrica), não havendo nenhum relato na literatura acerca das concentrações de fractalquina em indivíduos submetidos à cirurgia bariátrica. Dessa maneira esse estudo contribuiria para validar a eficiência do método (dosagem sérica de fractalquina) no controle da obesidade e de outras doenças associadas que comprometam a qualidade de vida dos pacientes e de parte das despesas do sistema público de saúde.