Busca avançada
Ano de início
Entree

Impacto dos distúrbios respiratórios do sono e da duração do sono sobre a progressão das doenças cardiovasculares - Estudo Longitudinal de Saúde do Adulto - ELSA

Processo: 14/01156-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2014
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Luciano Ferreira Drager
Beneficiário:Bianca Pezzutti
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/02953-2 - Impacto da apneia obstrutiva do sono e da duração do sono sobre a progressão das doenças cardiovasculares, AP.JP
Assunto(s):Apneia do sono   Doenças cardiovasculares   Cardiologia

Resumo

Os distúrbios do sono estão cada vez mais comuns na nossa sociedade e tem impacto negativo na qualidade de vida das pessoas. Evidências recentes sugerem que a apneia obstrutiva do sono (AOS) bem como alterações na duração do sono parecem aumentar também o risco cardiovascular. Utilizando-se de uma coorte de cerca de 5000 participantes na Cidade de São Paulo do projeto ELSA, determinaremos a presença da AOS utilizando-se a monitorização portátil bem como a actigrafia para determinação objetiva da quantidade média de sono de cada participante. De posse destes dados, teremos os seguintes objetivos: 1) avaliar se a presença de AOS e a alterações na duração do sono associam-se de forma independente com a presença de hipertensão, dislipidemia e diabetes, bem como variáveis fisiológicas incluindo a velocidade de onda de pulso, função endotelial, espessura íntima média da carótida (EIMC), angiotomografia coronária e escore de cálcio; 2) avaliar se a presença de AOS e alterações na duração do sono modulam a progressão da aterosclerose detectada pelo uso da EIMC, angiotomografia coronária e escore de cálcio; 3) avaliar se a AOS e alterações na duração do sono são preditores independentes de eventos cardiovasculares (casos novos de hipertensão arterial, acidente vascular cerebral e infarto agudo do miocárdio fatal e não fatal) no seguimento destes pacientes. Em caso positivo para o objetivo #3, avaliaremos potenciais marcadores de risco cardiovascular nos pacientes com AOS e/ou alterações na duração do sono que podem contribuir para explicar/predizer o aumento da morbimortalidade cardiovascular.