Busca avançada
Ano de início
Entree

A fidedignidade inter e intraavaliadores na avaliação subjetiva visual de pacientes disártricos

Processo: 14/03050-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de maio de 2014
Vigência (Término): 31 de maio de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Pesquisador responsável:Karin Zazo Ortiz
Beneficiário:Tânia Augusto Nascimento
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/23587-4 - A fidedignidade inter e intraavaliadores na avaliação subjetiva visual de pacientes disártricos, AP.R
Assunto(s):Fala   Avaliação fonoaudiológica   Disartria

Resumo

A avaliação e o diagnóstico dos quadros disártricos abrange o estudo das cinco bases motoras Tais bases podem ser avaliadas através da percepção-auditiva e/ou da avaliação visual, além de medidas instrumentais. Objetivo: Analisar a fidedignidade intra e inter avaliadores na realização da avaliação subjetiva visual de falantes disártricos. Métodos: Um estudo do tipo transversal será realizado. Serão, inicialmente avaliados 60 falantes, sendo 30 disártricos e 30 adultos que não apresentavam distúrbios da comunicação. Todos os participantes serão submetidos às tarefas que envolvem a avaliação subjetiva visual do Protocolo de Disartria (Ortiz, 2010). As seções do protocolo analisadas neste estudo incluirão itens da avaliação estrutural e da articulação em tarefas não-verbais e verbais. Todas as tarefas serão gravadas em vídeo. A avaliação subjetiva visual será então realizada por duas fonoaudiólogas com experiência na área de distúrbios neurológicos adquiridos da fala. As examinadoras estarão cegas quanto ao diagnóstico e quanto à avaliação uma da outra. Cada uma avaliará os 60 voluntários, cujos vídeos serão apresentados em ordem aleatória. Após três meses, essas amostras serão reapresentadas a, a fim de que as examinadoras as avaliem pela segunda vez para avaliação da fidedignidade intraavaliadores. Para análise estatística serão aplicados os testes Kappa quando houver concordância razoável, mesmo que esteja abaixo de 70% e o coeficiente de correlação intraclasse será aplicado para medir uma estimativa da fração da variabilidade total de medidas devido a variações entre os indivíduos. (AU)