Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo fitoquímico de Davilla elliptica e Vellozia variabilis e avaliação em ensaios frente a doenças tropicais negligenciadas

Processo: 14/08404-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de outubro de 2014
Vigência (Término): 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Wilson Roberto Cunha
Beneficiário:Lúzio Gabriel Bocalon Flauzino
Instituição-sede: Pró-Reitoria Adjunta de Pesquisa e Pós-Graduação. Universidade de Franca (UNIFRAN). Franca , SP, Brasil
Assunto(s):Química de produtos naturais   Fitoquímica   Extratos vegetais   Davilla   Velloziaceae   Doenças negligenciadas   Leishmaniose   Esquistossomose   Doença de Chagas   Cerrado

Resumo

Os produtos naturais são utilizados pela humanidade desde tempos antigos. A busca por alívio e cura de doenças pela ingestão de ervas e folhas talvez tenham sido uma das primeiras formas de utilização dos produtos naturais. A Química de Produtos Naturais representa, dentro da área de pesquisa com espécies vegetais, um ponto de grande importância e valor, na medida em que somente por meio da utilização de métodos fitoquímicos pode-se isolar novas substâncias, obter a correta determinação estrutural destas e, posteriormente, obter derivados por síntese total ou parcial. A introdução das novas tecnologias tornou a química medicinal mais ampla em sua concepção, ampliando seu caráter interdisciplinar. A Biologia Molecular e as novas técnicas genéticas permitiram o isolamento e a purificação de muitas enzimas, receptores diretamente associados a processos patológicos, representando autênticos alvos-moleculares para novos fármacos. A maioria dos fármacos disponíveis na terapêutica moderna é sintetizada, mas muitos deles foram originalmente extraídos de plantas ou se utilizou um protótipo que, por sua vez, também foi extraído de plantas. O presente projeto visa à preparação de extratos brutos de duas espécies vegetais (Davilla elliptica e Vellozia variabilis) que serão coletadas em regiões de cerrado. Estes extratos serão avaliados in vitro frente aos parasitas causadores da leishmaniose (Leishmania amazonenses), esquistossomose (Schistosoma mansoni) e doença de Chagas (Trypanosoma cruzi), buscando assim extratos mais promissores para posterior fracionamento e isolamento de constituintes majoritários, visando então, a obtenção dos possíveis princípios ativos destes. As moléculas promissoras também serão incorporadas em nanopartículas sendo avaliado seu perfil liberação. (AU)