Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da extrusão apical de debris após o preparo biomecânico com sistemas rotatórios e reciprocantes.

Processo: 14/14867-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2014
Vigência (Término): 30 de setembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Endodontia
Pesquisador responsável:Manoel Damiao de Sousa Neto
Beneficiário:Rodrigo Presotto Ferreira da Rosa
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Canal radicular

Resumo

O sucesso da terapia endodôntica está diretamente relacionado à realização criteriosa e asséptica de todas as fases do tratamento. Porém, um fator que interfere no processo de reparo tecidual durante o processo de instrumentação, é a extrusão de raspas de dentina, fragmentos de tecido pulpar, tecido necrótico, microrganismos e soluções irrigantes que podem ser forçados além do ápice, podendo causar reações inflamatórias e dor pós-instrumentação. O objetivo do presente estudo será avaliar a extrusão apical de debris de cinco protolocos de instrumentação e sua correlação com preparo do canal radicular, em molares inferiores humanos com canais mesiais de curvatura moderada selecionados por meio de tomografia computadorizada Cone Beam (n = 50). Os dentes serão submetidos ao escaneamento para avaliação de parâmetros bidimensionais (área, circularidade, diâmetro maior e menor) e tridimensionais (volume, área de superfície e SMI), antes e após o preparo biomecânico, por meio de microtomografia computadorizada. Serão divididos em cinco grupos de acordo com o preparo biomecânico a ser realizado, sendo cada grupo com n=10: GI: Sistema ProTaper Next; GII: Sistema TF Adaptive; GIII: Sistema Reciproc; GIV: Sistema One Shape e GV: Sistema Self-Adjusting File. Os dentes serão adaptados em eppendorfs para coleta do material extruído que será pesado antes do preparo. Feito o preparo biomecânico, os eppendorfs serão secos e pesados novamente. A diferença entre o peso inicial e final dos eppendorfs será considerado o valor do peso do material extruído. Os resultados obtidos serão submetidos ao teste de normalidade, consequente escolha do teste estatístico e analisados com o programa SPSS.