Busca avançada
Ano de início
Entree

Fotobioestimulação no controle da nocicepção em modelo de neuralgia trigeminal

Processo: 15/18365-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2015
Vigência (Término): 30 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Marucia Chacur
Beneficiário:Jessica Gonzaga de Oliveira
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Dor   Substância P   Dor facial   Terapia a laser

Resumo

A neuralgia trigeminal (NT) é uma causa comum de dor facial. Ela tem um impacto significativo na qualidade de vida e funcionamento socioeconômico do paciente. A Associação Internacional para o Estudo da Dor (IASP) define a NT como uma doença unilateral dolorosa que se caracteriza por breves episódios de dor - como choques elétricos - cujo início ou término podem ser abruptos, e sua distribuição limita-se a uma ou mais divisões do nervo trigêmeo. Dentre os diversos modelos de neuropatia utilizando lesão de nervos do corpo, o trigêmeo também tem sido um alvo importante. Uma vez que, o nervo trigêmeo conduz informações através de três ramificações principais: a oftálmica, a maxilar e a mandibular e é o grande responsável por conduzir as informações sensoriais advindas da face e do pescoço. Em ratos, observamos as mesmas divisões, tendo o nervo infraorbital, divisão do maxilar, maior destaque por ser composto praticamente por fibras sensoriais, sendo o responsável por suprir o conjunto das vibrissas.A lesão constrição crônica do nervo infraorbital (CCI-NIo) que resulta em um modelo de dor crônica que pode ser aplicado ao estudo da dor neuropática orofacial foi descrito por VOS et al. (1994) sendo posteriormente utilizado em outros estudos, tornando-se um modelo bem estabelecido para o estudo da NT. O tratamento atual da NT não é satisfatório, sendo que o controle da dor é a solução mais utilizada, sendo que para alguns casos graves pode-se optar por remover ou destruir o gânglio trigeminal.Dentre as principais técnicas não farmacológicas utilizadas para o tratamento de neuropatias, podemos destacar a estimulação elétrica de baixa frequência, exercícios ativos, estimulação elétrica funcional, o ultrassom terapêutico e o LASER de baixa potência.Neste estudo propomos a utilização do laser de baixa potência, AsGa (904nm), para avaliar as alterações celulares e moleculares no gânglio trigeminal após CCI-NIo e como o laser pode influenciar neste processo, bem como no controle da sintomatologia dolorosa. Para tanto utilizaremos técnicas de análise como immunoblottig, além da utilização de teste comportamental, Orofacial Stimulation Test, para avaliar se após a lesão os animais desenvolverão a neuropatia e como a laser terapia de baixa intensidade pode alterar esta condição. Além disso, avaliaremos ainda a expressão de proteínas associadas ao processo álgico como a substância P e também de receptores do tipo TRPV-1 no gânglio do trigêmeo.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.