Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos das diferentes montagens da tDCS na funcionalidade de crianças com paralisia cerebral: ensaio clínico aleatorizado, placebo-controlado e duplo cego

Processo: 16/03565-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2016
Vigência (Término): 31 de julho de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Claudia Santos Oliveira
Beneficiário:Natália de Almeida Carvalho Duarte
Supervisor no Exterior: Manuela Galli
Instituição-sede: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Memorial. São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Politecnico di Milano, Itália  
Vinculado à bolsa:15/14952-9 - Efeitos das diferentes montagens da tDCS na funcionalidade de crianças com paralisia cerebral do tipo hemiparesia espástica: ensaio clínico aleatorizado, placebo-controlado e duplo cego, BP.DR
Assunto(s):Neuropediatria   Crianças   Paralisia cerebral   Estimulação transcraniana por corrente contínua   Ensaio clínico controlado aleatório

Resumo

Objetivo: Verificar os efeitos de diferentes montagens da estimulação transcraniana por corrente continua (tDCS) no córtex motor primário, associada ao treino de marcha sobre a funcionalidade de crianças com paralisia cerebral (PC) do tipo hemiparesia espástica. Materiais e Métodos: A amostra populacional que fará parte deste projeto será composta de 30 crianças com PC do tipo hemiparesia espástica, com idade entre cinco a doze anos. As crianças serão alocadas randomicamente em três grupos (Grupo 1: tDCS anódica no córtex motor primário e catodo na região supra-orbital contralateral associada ao treino de marcha em esteira; Grupo 2: tDCS anódica sham no córtex motor primário e catodo na região supra-orbital contralateral associada ao treino de marcha em esteira; Grupo3: tDCS anódica no córtex motor primário do hemisfério lesionado e estimulação catódica no córtex motor primário contralateral associada ao treino de marcha em esteira. Os participantes serão avaliados em três momentos distintos (antes, logo após e um mês após os treinos propostos). A avaliação será constituída da análise tridimensional da marcha, do equilíbrio estático, equilíbrio funcional, do desempenho funcional, da qualidade de vida e do traçado eletromiográfico dos membros inferiores. Os treinos serão realizados durante duas semanas consecutivas, com cinco sessões de treino por semana e duração de 20 minutos por sessão. A estimulação transcraniana será realizada simultâneamente ao treino de marcha com uma intensidade de 1 mA. Os resultados serão analisados estatisticamente assumindo um nível de significância de 0,05 (p<0,05). Para realização do BEPE a estudante irá trabalhar com a análise dos dados coletados de seu projeto aqui no Brasil. (AU)