Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de ensaios celulares para avaliar e quantificar as alterações fenotípicas da inibição química da Vaccinia-Related Kinase 1 (VRK1)

Processo: 16/17469-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2016
Vigência (Término): 31 de maio de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Opher Gileadi
Beneficiário:Roberta Regina Ruela de Sousa
Instituição-sede: Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética (CBMEG). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Assunto(s):Biologia celular   Proteínas quinases   Inibidores de proteínas quinases   Fosfatase 3 de especificidade dupla   Ciclo celular

Resumo

Uma das maneiras de se obter novos medicamentos é encontrar e definir os alvos corretos e somente através da compreensão da Biologia Humana que tais objetivos podem ser alcançados. Para estudar a Biologia Humana, ferramentas como abordagens genéticas e inibição química são usadas para revelar a função de uma proteína e, assim, definir um alvo terapêutico. Uma das classes de proteínas que tem se demonstrado bons alvos terapêuticos para muitas doenças são as proteína quinases, primeiramente por estarem envolvidas no controle de diferentes processos celulares, incluindo proliferação e apoptose; em segundo lugar, quinases podem ser alvos específicos de pequenas moléculas, como vem mostrado pelo aumento do número de inibidores de quinases aprovados pelo FDA, na maioria para oncologia; e por último, por haver ligação genética de muitas doenças humanas com centenas de quinases de um genoma com cerca de 500 quinases. Entretanto, as quinases que são extensivamente estudadas atualmente continuam sendo as mesmas 50 que eram estudadas há 20 anos atrás. É provável que haja alvos importantes entre essas proteínas quinases negligenciadas. Para que a comunidade científica estude o papel dessas proteínas quinases pouco estudadas e identifique novos alvos terapêuticos, o Structural Genomic Consortium (SGC) tem como objetivo desenvolver sondas químicas: inibidores potentes e seletivos de proteínas quinases individuais, com atividade bem definida em células intactas. Nesse projeto, eu vou desenvolver e implementar ensaios celulares para comprovar a ligação do inibidor ao seu alvo, determinar as curvas de dose-respostas e as consequências da inibição da quinase alvo. Este projeto focará inicialmente na VRK1, uma serina-treonina quinase, que faz parte do grupo das quinases pouco estudadas. VRK1 está envolvida com ciclo celular e resposta a danos no DNA e alguns estudos sugerem VRK1 como alvo para terapia contra o câncer. Estabeleceremos métodos para validar as sondas químicas e revelar o papel da VRK1 em células. No decorrer deste projeto, métodos similares serão desenvolvidos para sistematicamente validarmos a função celular das sondas químicas para outras quinases. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Sonda química permite regular via de sinalização essencial nas células  
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.