Busca avançada
Ano de início
Entree

Modelo físico de linhas de transmissão: adaptação para sistemas PLC (Power Line Communication)

Processo: 17/03948-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Elétrica - Telecomunicações
Pesquisador responsável:Afonso José do Prado
Beneficiário:Aghatta Cioquetta Moreira
Instituição-sede: Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental São João da Boa Vista. São João da Boa Vista , SP, Brasil
Assunto(s):Circuitos elétricos   Linhas de transmissão de energia elétrica   Propagação das ondas

Resumo

Este projeto de pesquisa apresenta uma proposta de desenvolvimento de trabalho em nível de Iniciação Científica na área de fenômenos transitórios eletromagnéticos associados à sistemas PLC (Power Line Communication). A proposta é analisar o comportamento de um modelo físico de linhas de transmissão, baseado em módulos de circuitos À, construído durante o ano anterior em um projeto de Iniciação Científica patrocinado pela PROPe/UNESP (Pró-Reitoria de Pesquisa da UNESP) ao ter seus componentes adaptados para atuar como uma rede PLC. Nesse caso, o modelo originalmente utilizado em outros trabalhos de pesquisa realizados na instituição teve sua resistência inicial adaptada para se aproximar de um sistema PLC. O modelo utiliza representação monofásica baseada em circuitos À modificados. A estrutura clássica de circuitos À não considera a influência da frequência, o que causa erros significativos nos cálculos das correntes e tensões propagadas pela linha fora da situação de regime permanente ou para fenômenos de alta frequência. Dessa forma, na estrutura clássica do circuito À, são inseridos blocos RL paralelos para simular a influência da frequência nos parâmetros da linha de transmissão. O modelo físico construído foi baseado em um modelo matemático desenvolvido anteriormente, o qual é solucionado utilizando a técnica de variáveis de estado em conjunto com o método numérico de integração trapezoidal. Os resultados desta modelagem matemática foram comparados com resultados obtidos pelos principais programas computacionais de simulação de transitórios em redes elétricas. No primeiro período de Iniciação Científica, patrocinado pela PROPe/UNESP, a unidade de circuito À foi montada, sendo realizada varredura na frequência para obter as curvas de resistência e de indutância do ramo longitudinal de uma unidade de circuito À. A faixa de frequências utilizada para a varredura foi entre 10Hz e 1Mhz. (AU)