Busca avançada
Ano de início
Entree

Proteção transitória em cabos sob sobretensão

Processo: 23/07535-9
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2023
Vigência (Término): 31 de agosto de 2025
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Elétrica - Circuitos Elétricos, Magnéticos e Eletrônicos
Pesquisador responsável:Jose Pissolato Filho
Beneficiário:Ricardo Augusto de Araujo
Instituição Sede: Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Empresa Sede:Ministério da Defesa (Brasil). Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Divisão de Engenharia Mecânica (IEM)
Vinculado ao auxílio:21/11258-5 - Centro de Pesquisa em Engenharia para a Mobilidade Aérea do Futuro (CPE-MAF), AP.PCPE
Assunto(s):Compatibilidade eletromagnética   Sobretensões   Método transiente eletromagnético   Aeronaves   Veículos elétricos   Sistemas híbridos
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:electric aircraft | electromagnetic simulation | Electromagnetic transients | Overvoltages | Compatibilidade eletromagnética

Resumo

Atualmente, com o avanço das tecnologias e materiais, observa-se um maior crescimento das tecnologias aeronáuticas, com aumento da investigação e implantação de novas formas de geração, distribuição e utilização de energia elétrica a bordo. A Aeronave mais elétrica (MEA) reduz o peso da aeronave, os custos de manutenção e oferece maior confiabilidade e desempenho.Isso leva a um aumento do interesse em novas tecnologias elétricas, como células de combustível, geradores de frequência variável, novos tipos de sistemas de distribuição de energia e sistemas híbridos de pressurização de cabine. Neste cenário, todas as Aeronaves Elétricas precisam considerar condutores longos em alguns casos. Quando o comprimento desses condutores se torna uma fração significativa do comprimento de onda, o modelo da linha de transmissão deve ser tratado.Se a propagação de Alta Tensão (AT) estiver associada a impulsos de comutação, pode produzir faíscas. Nessas circunstâncias, o condutor de sinal e seu caminho de retorno devem ser considerados em conjunto como uma linha de transmissão. A isolação deve resistir sem danos para evitar descargas parciais e faíscas. Assim, o isolamento é uma parte importante do estudo da proteção.Além disso, ao considerar condutores como linhas de transmissão, o efeito corona pode se manifestar entre condutores e resultar em perdas de energia, interferências e distorções. Apesar das dificuldades em sua modelagem, o efeito corona é significativo em transientes eletromagnéticos e deve ser considerado nos estudos.O primeiro passo para projetar uma isolação imune a descargas parciais é evitar que sobretensões fluam pelo circuito suscetível. Isso pode ser feito isolando o circuito ou fornecendo um caminho alternativo para esses sinais transitórios. Assim, este projeto visa os seguintes resultados: desenvolver uma metodologia para garantir a confiabilidade da proteção e prever falhas associadas a impulsos transitórios; conceber procedimentos para mitigar efeitos nocivos no isolamento de cabos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)