Busca avançada
Ano de início
Entree

Indivíduos com alto risco para desenvolvimento de injúria renal aguda em contextos clínicos relevantes: estudo prospectivo sobre aspectos epidemiológicos, diagnósticos e prognósticos

Processo: 17/22917-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de novembro de 2017
Vigência (Término): 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Emmanuel de Almeida Burdmann
Beneficiário:Laís Batista de Lima
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/19286-4 - Indivíduos com alto risco para desenvolvimento de injúria renal aguda em contextos clínicos relevantes: estudo prospectivo sobre aspectos epidemiológicos, diagnósticos e prognósticos, AP.TEM
Assunto(s):Nefrologia   Neoplasias   Biomarcadores   Taxa de filtração glomerular   Lesão renal aguda

Resumo

Os pacientes com câncer constituem grupo de risco para o desenvolvimento de injúria renal aguda (IRA). Múltiplos e sucessivos episódios de IRA ao longo do tratamento (cirurgias, quimioterapia, complicações do tratamento) podem resultar no desenvolvimento de doença renal crônica (DRC). A forma mais simples, prática e acessível de avaliar o ritmo de filtração glomerular (RFG) é a utilização de equações baseadas no nível sérico de creatinina. No entanto, essas fórmulas apresentam menor acurácia em idosos e pacientes nos extremos de peso, quando comparadas com método de referência, como a depuração radioisotópica. A determinação acurada do RFG nos pacientes com câncer é de fundamental importância, permitindo o ajuste de dose de quimioterápicos e minimizando as toxicidades renais e sistêmicas potencialmente fatais desses medicamentos. Ademais, a determinação acurada do RFG possibilita a identificação dos pacientes portadores de DRC, permitindo a instituição de medidas de proteção da função renal. Não existem estudos prospectivos avaliando a forma mais adequada de determinar o RFG em pacientes com câncer, nem a prevalência de DRC nesses pacientes. Será realizado estudo de coorte prospectivo, com amostra de 1.250 pacientes, sem tratamento oncológico prévio, que iniciem seguimento no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP). Antes do início do tratamento oncológico os pacientes realizarão a determinação do RFG pela depuração renal de 51Cr-EDTA, a medida do nível sérico de creatinina e a quantificação da relação albumina/creatinina (mg/g) em amostra isolada de urina. Os pacientes realizarão segunda dosagem de creatinina sérica e relação albumina/creatinina (mg/g) em amostra isolada de urina dentro de três a seis meses após a avaliação inicial. Serão excluídos pacientes com idade inferior a 18 anos, portadores de tumores benignos, neoplasias hematológicas, com baixo desempenho clínico (ECOG-PS > 2), em programa regular de diálise e mulheres gestantes ou em lactação. (AU)