Busca avançada
Ano de início
Entree

Identidade, memória e narrativas como fenômenos distribuído em rede: trabalhando com ex internos de uma instituição para menores

Processo: 17/24107-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 20 de agosto de 2018
Vigência (Término): 03 de junho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia
Pesquisador responsável:Marcos César Alvarez
Beneficiário:Veridiana Domingos Cordeiro
Supervisor no Exterior: Andreas Glaeser
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Chicago, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:16/16472-7 - Memória e identidade nas narrativas de dois grupos de ex internos de uma instituição para menores, BP.DR
Assunto(s):Identidade (psicologia)   Narrativas pessoais   Menor abandonado   Instituições sociais   Intercâmbio de pesquisadores

Resumo

O presente projeto busca superar alguns desafios centrais encontrados ao longo da pesquisa de doutorado. O objetivo central da pesquisa de doutorado é entender o imbricamento entre memória e identidade a partir da análise de narrativas de indivíduos que cresceram em uma instituição governamental para menores abandonados ou em conflito com a lei. Décadas depois, os ex internos se reencontraram via Facebook e passaram a compartilhar narrativas sobre seu passado tanto online, quanto em encontros anuais. Dessa maneira, nesse subprojeto, buscamos nos focar em compreender como as narrativas compartilhadas no mundo virtual giram em torno da construção e afirmação identitária. A quantidade de dados diariamente compartilhada entre os indivíduos pesquisados nos colocou desafios metodológicos e até mesmo técnicos. Análises parciais nos mostraram que o processo de rememoração no mundo virtual é muito mais complexo do que o processo verificado nas entrevistas autobiográficas, pois é um processo que envolve o suporte de objetos (como fotografias) e engloba a interação entre indivíduos se transforma ao longo do tempo. Como a internet funciona como um repositório, ela nos permite rastrear temporalmente essa dinâmica, o que acarretando em uma quantidade significativa de dados. O número crescente de conteúdos gerados e de relações estabelecidas por esses indivíduos no mundo virtual requer uma análise amparada por técnicas computacionais de processamento (natural language processing e network analysis) que não podem estar descoladas de uma discussão teórica ampla e consciente. Nossa interpretação sociológica da memória e da identidade não toma uma posição nem micro e nem macro. Nós defendemos uma concepção de identidade e memória que preserva a perspectiva individual, mas que é amparada por elementos e interações sociais e que deve ser minimamente inteligível pelos outros. Essa ideia casa com uma abordagem "processual", classicamente desenvolvida pela sociologia figuracional e posteriormente desenvolvida por autores que adicionaram elementos sofisticados à análise, tal qual a dinâmica temporal. Esse é o caso do "processualismo consequente", uma abordagem teórica e metodológica desenvolvida por Andreas Glaeser (2005). Em geral, podemos dizer que Glaeser concebe a vida social como uma versão complexa e dinâmica de uma rede. Ou seja, uma rede de relações inter-subjetivas que se transformam ao longo do tempo por conta de um conjunto de ações e reações que transcendem o tempo e o espaço, gerando assim consequências futuras imprevistas. Glaeser chama de "articulações projetivas" aquilo que traz mudanças inevitáveis às formações sociais ao longo do tempo. Podemos considerar a própria construção da memória e da identidade como fenômenos inseparáveis que compõem formações sociais e que também podem sofrer de articulações projetivas. Essa abordagem teórica nos leva a um posicionamento metodológico que busca extrair da realidade social muito mais do que extensas descrições etnográficas, mas sim a elaborar, a partir dos casos trabalhados, relações mais amplas, retornando à teoria para aperfeiçoá-la e desenvolvê-la. (AU)