Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de diferentes substratos condutores para modificação com filmes nanoparticulados de TiO2 P25 visando a degradação fotocatalítica do sistema orgânico modelo Hidrogenoftalato de potássio

Processo: 18/00560-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Ivano Gebhardt Rolf Gutz
Beneficiário:Lucas Diegues Cordon
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Eletroanalítica   Fotocatálise   Fotoeletrocatálise   Foto-oxidação   Eletrodos quimicamente modificados   Métodos alternativos

Resumo

O tratamento de água convencional aplicado nos dias atuais, seja ele para potabilização ou tratamento de esgoto, se mostra insuficiente ao abatimento de uma série de compostos pertencentes à classe dos assim chamados poluentes emergentes. Em muitos casos, o monitoramento rotineiro desses compostos se mostra inviável por diversas razões de tempo e custo, entre outras, restando a possibilidade do uso de parâmetros inespecíficos para a sua representação global. Um deles, aplicado para orgânicos, é a Demanda Química de Oxigênio (DQO). Métodos modernos para a sua determinação utilizam-se do processo de fotooxidação por UV mediado por TiO2 nanoparticulado imobilizado em substrato/leito condutor, possibilitando a determinação coulométrica da carga requerida para a oxidação. Esse processo fotoeletrocatalítico também vem sendo proposto como método alternativo para o abatimento de poluentes orgânicos negligenciados pelo tratamento de águas convencional, com o atrativo de possibilitar a sua degradação sem a adição complementar de quaisquer reagentes. Todavia, um número bastante limitado de substratos condutores relativamente caros para uso em larga escala tem sido apontados como favoráveis para servir de leito, dentre eles o ITO (Indium Tin Oxide), o FTO (Fluorine-Doped Tin Oxide) e o ouro. Esse trabalho tem como objetivo central estender o protocolo de modificação a frio de ouro com TiO2 (P25), recentemente desenvolvido pelo grupo, para Ag, Cu, Pd, Pt e Carbono Vítreo, analisando a atividade fotocatalítica resultante para a degradação do poluente-modelo hidrogenoftalato de potássio (KHP), padrão-primário para determinação da DQO pelo método convencional do dicromato, e, por outro lado, composto precursor na classe de desreguladores endócrinos dos ésteres ftalatos.