Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação in vitro da variação da temperatura intra-câmara pulpar durante clareamento com géis de alta e baixa concentração ativados com diferentes fontes de luz

Processo: 17/19161-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Rafael Francisco Lia Mondelli
Beneficiário:Larissa Fernanda de Santis
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Dentística   Clareamento de dente   Temperatura

Resumo

Este estudo in vitro objetiva avaliar a variação da temperatura intra-câmara pulpar durante a fotoativação de agentes clareadores com e sem partículas nanométricas de dióxido de titânio nitrogenado por 3 fontes de luz (LED azul, Luz híbrida de LED azul/laser diodo; Luz híbrida de LED violeta/laser diodo). Para o protocolo clareador serão selecionados 1 incisivo central superior, e 1 incisivo central inferior humano, extraído por razões periodontais, livre de cárie, restauração e trincas visíveis. Estes dentes serão cortados a 3mm além da junção amelocementária. A câmara pulpar será preenchida com pasta térmica, junto com o sensor termopar tipo K e posição conferida por radiografia. O conjunto será inserido em uma cuba térmica com temperatura controlada a 37°C. O agente clareador nas concentrações de 6% (Lase Peroxide Lite), 15% (Lase Peroxide Flex) e 35% (Lase Peroxide Flex /Whiteness HP Maxx) será aplicado na face vestibular do dente em camada uniforme. Em seguida, a fonte de luz (TF Premier (MMOptics), Whitening Plus (DMC) ficará distante 10 mm da superfície dentária. Distribuídas em 30 grupos, o protocolo de fotoativação consistirá em 3 aplicações de luz por 2min com intervalos de 30s entre elas (7min 30s por aplicação do gel clareador, onde será aferida a temperatura). Ao final de cada protocolo, o gel clareador será removido com água e, haverá uma pausa entre os grupos até o retorno da temperatura intra-câmara pulpar aos 37°C±1, completando 5 repetições para cada grupo avaliado. As hipóteses nulas testadas serão de que: a ausência de gel clareador, as diferentes fontes de luz e as diferentes concentrações do gel clareador, não determinarão aumento da temperatura intra-câmara pulpar. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: