Busca avançada
Ano de início
Entree

Vulnerabilidade estocástica em redes complexas

Processo: 18/06205-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 27 de junho de 2019
Vigência (Término): 26 de junho de 2020
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Leonardo Bacelar Lima Santos
Beneficiário:Leonardo Bacelar Lima Santos
Anfitrião: Dr. Igor Michailovitsch Sokolov
Instituição-sede: Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Nacionais (CEMADEN). Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). Cachoeira Paulista, SP, Brasil
Local de pesquisa : Humboldt University, Alemanha  
Vinculado ao auxílio:15/50122-0 - Fenômenos dinâmicos em redes complexas: fundamentos e aplicações, AP.TEM
Assunto(s):Vulnerabilidade   Processos estocásticos   Desastres ambientais   Redes complexas

Resumo

Brasil e Alemanha são signatários do Marco de Sendai, o mais respeitado framework para Redução do Risco de Desastres (RRD) entre 2015 e 2030. Dentre as metas do Marco de Sendai está reduzir substancialmente os danos causados por desastres nos setores de infraestruturas. Na área de desastres a análise de vulnerabilidade é uma questão de fundamental importância. Infraestruturas críticas são essenciais à sociedade moderna. Essas estruturas, de grande interesse público, são vulneráveis a variados tipos de riscos. Falhas mesmo que locais e instantâneas podem resultar em danos regionais de longa duração e intensidade, com possíveis impactos à vida humana, sociedade e economia em diversas escadas temporais e espaciais. O mapeamento e a quantificação da vulnerabilidade consistem em um tema de interesse global. A abordagem de Redes Complexas pode oferecer uma valiosa perspectiva considerando um tipo essencial de vulnerabilidade relacionada a infraestruturas críticas: a vulnerabilidade topológica. Neste projeto serão produzidos mapas com a localização e intensidade da vulnerabilidade de algumas infraestruturas críticas (especialmente de transporte e mobilidade urbana) a eventos extremos em algumas áreas de susceptibilidade (especialmente a inundações e alagamentos urbanos). A principal contribuição científica do projeto, promovendo avanço na fronteira do conhecimento, será na incorporação de uma componente estocástica ao cálculo da vulnerabilidade em redes complexas. Tal incorporação encontra justificativa especialmente em temáticas que envolvem comportamentos sociais, como mobilidade urbana. A abordagem estocástica será analisada do ponto de vista de simulação computacional e, se possível, por aproximações para soluções analíticas.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.