Busca avançada
Ano de início
Entree

Aplicação de fluidos com nanopartículas de magnetita na caracterização de meios porosos

Processo: 18/18575-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Liliane Janikian Paes de Almeida
Beneficiário:Victor Hugo Sales da Silva
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Assunto(s):Geologia do petróleo   Petrografia   Nanopartículas de magnetita   Rochas sedimentares   Porosidade do solo   Microtomografia

Resumo

O presente projeto de pesquisa propõe o estudo de uma nova técnica que permita determinar a porosidade e anisotropia (heterogeneidade) da distribuição dos poros interconectados em amostras de rochas siliciclásticas, com a aplicação de um fluido com nanopartículas de magnetita. As pesquisas envolverão o emprego de ferrofluido, desenvolvido pelos pesquisadores do Instituto de Química da USP, em amostras de rochas siliciclásticas coletadas em trabalhos de campo realizados pelo grupo proponente. A caracterização da direção preferencial da interconectividade dos poros presentes em amostras de rocha será realizada utilizando medidas de susceptibilidade em rochas impregnadas por este fluído e sua eficácia será verificada comparando-se os resultados à outros já obtidos por técnicas tradicionais (geológicas e geofísicas). As pesquisas envolverão também o emprego de estudos petrográficos e análises de microtomografia na caracterização do tipo de porosidade e a relação desta trama em amostras de diversas fácies sedimentares, buscando verificar uma possível interferência da mineralogia e feições diagenéticas presentes (como cimento e argila) na geração da porosidade e, por consequência, percolação do ferrofluido. Resultados preliminares obtidos pelo grupo proponente demonstraram a relação entre a direção preferencial de percolação do fluído (nos poros interconectados das amostras) com a orientação das estruturas sedimentares primárias, no caso das amostras com predomínio de porosidades primárias. Destaca-se que estes resultados preliminares foram obtidos a partir de somente 1 direção de plugue, coletados em tipos diversos litotipos sedimentares, enquanto que os métodos tradicionais (como injeção de gás inerte) utilizam-se de 3 plugues com direções ortogonais entre si. Desta forma, ressalta-se a importância destes estudos na grande contribuição que poderão trazer para a caracterização da distribuição e da direção preferencial de poros interconectados, como uma técnica complementar às técnicas geológicas (análise petrográfica) e geofísicas (análises de porosidade por injeção de gás inerte ou microtomografia) que realizam estes estudos, sendo sua aplicação de grande importância na caracterização de reservatórios de hidrocarbonetos.