Busca avançada
Ano de início
Entree

Datação com radiocarbono para confirmar anualidade dos anéis de crescimento e datar precisasamente troncos fósseis de espécies arbóreas no Parque Nacional Cavernas do Peruaçu para estudos paleoclimáticos

Processo: 19/09813-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado Direto
Vigência (Início): 15 de outubro de 2019
Vigência (Término): 14 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Pesquisador responsável:Gregório Cardoso Tápias Ceccantini
Beneficiário:Milena de Godoy Veiga
Supervisor no Exterior: Elisabetta Boaretto
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Weizmann Institute of Science, Israel  
Vinculado à bolsa:18/07632-6 - Reconstrução das mudanças climáticas nos últimos dois séculos por meio de estudos dendroclimatológicos e isotópicos de árvores na região do Parque Nacional Cavernas do Peruaçu, BP.DD
Assunto(s):Dendrocronologia

Resumo

A emissão de gases relacionados ao efeito estufa provocaram um aumento de temperatura na atmosfera que altera o ecossistema e interfere nos ciclos biogeoquímicos do planeta. Para entender as consequências dessas mudanças no clima é necessário olhar para a variabilidade natural do sistema no período pré-instrumental. Uma das formas estudar o clima em tempos pretéritos é utilizando os anéis de crescimento de árvores, que são registros naturais com resolução anual. Em regiões tropicais as árvores atingem, em média, cerca de 200 anos de idade, portanto para a construção de longas séries climáticas é preciso encontrar árvores mortas e troncos preservados. Encontrar tais registros é difícil na região tropical, onde locais com condições favoráveis a preservação de árvores mortas são raros. Entretanto, na região centro-leste do Brasil as áreas cársticas apresentam as condições necessárias para preservação de troncos de algumas espécies arbóreas em locais secos dentro de cavernas. Esses troncos foram levados por eventos de grandes inundações e ficaram presos entre rochas da caverna após o nível do rio abaixar. Neste estudo será aplicada a datação por radiocarbono dos anos do pico-da-bomba para testar a anualidade dos anéis de crescimento das espécies encontradas na região, além disso os troncos fósseis serão datados com alta precisão com radiocarbono utilizando o método de wiggle-matching. As amostras coletadas neste estudo são registros paleoclimáticos raríssimos que serão utilizados para reconstruir o clima e eventos de inundação no rio Peruaçu no último milênio. A posição geográfica estratégica do Parque Nacional Cavernas do Peruaçu vai permitir a construção de longas séries de dados relacionados ao Sistema de Monção Sul-Americano (SMSA). Esses dados poderão melhorar a precisão modelos climáticos utilizados para entender os efeitos do aumento de temperatura e consequentes mudanças climáticas globais.